Diageo desiste de patrocinar a Copa América e se junta a Mastercard e Ambev

Dona da Johnnie Walker citou momento da pandemia de Covid-19 para justificar a decisão

Leonardo Guimarães, do CNN Brasil Business, em São Paulo
10 de junho de 2021 às 19:17 | Atualizado 11 de junho de 2021 às 19:35
Johnnie Walker, Diageo
Dona da Johnnie Walker anuncia que não vai ativar patrocínios na Copa América
Foto: Divulgação Diageo

A fabricante de bebidas Diageo é mais uma empresa que anuncia a retirada de sua marca em toda a comunicação da Copa América no Brasil. Segundo a empresa, a decisão aconteceu “em respeito ao momento da pandemia de Covid-19” 

A dona da Johnnie Walker e da Smirnoff deixou claro que os termos do patrocínio foram acertados quando o evento estava previsto para ser realizado na Colômbia e Argentina. 

Na semana passada, a Confederação Sul-Americana de Futebol transferiu inesperadamente o torneio, que começa no domingo, ao Brasil depois que a Colômbia foi descartada devido a protestos e a Argentina desistiu após um aumento nos casos de Covid-19 no país. 

A Diageo se torna a terceira empresa a desistir de patrocinar a competição, juntando-se a Ambev e Mastercard. A empresa de pagamentos patrocina a Copa América desde 1992. 

A seleção brasileira de futebol citou preocupações "humanitárias" em comunicado nesta quarta-feira criticando a organização da Copa América no Brasil, mas se comprometeu a participar do torneio após rumores de um possível boicote.