Petrobras reafirma venda de fatia na BR Distribuidora após troca de presidente

Havia dúvidas se projeto de se desfazer de participação seria mantida na gestão do general Joaquim Silva e Luna, no cargo desde abril

Fernanda Nunes, do Estadão Conteúdo
10 de junho de 2021 às 21:57 | Atualizado 10 de junho de 2021 às 21:59
Posto Gasolina BR
Posto de gasolina da BR Distribuidora (02.mai.2019)
Foto: Diego Vara/Reuters

A Petrobras reiterou que venderá sua participação de 37,5% na BR Distribuidora por meio de oferta secundária de ações (follow on).

A decisão havia sido tomada pelo conselho de administração da empresa em agosto do ano passado, ainda na gestão do ex-presidente da petrolífera, Roberto Castello Branco. Havia dúvidas, no entanto, se seria mantida na gestão do general Joaquim Silva e Luna, no cargo desde abril.

Em comunicado, a Petrobras confirmou nesta quinta-feira (10), que a participação remanescente na BR será oferecida ao mercado financeiro por meio de oferta secundária de ações. "O montante a ser arrecadado dependerá do resultado da precificação da transação", informou a empresa.

A empresa acrescentou ainda que a oferta estará sujeita às condições de mercado, à aprovação dos órgãos internos da Petrobras quanto ao preço, e à análise da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e demais órgãos reguladores.

A privatização da BR aconteceu, na verdade, em 2019, quando a estatal se desfez do controle da distribuidora, com a venda da participação de 30% por R$ 9,6 bilhões. A abertura do capital ocorreu em 2017.