Anitta é nomeada para o conselho de administração do Nubank

A cantora afirma que se interessou pelo projeto por conta da mudança de paradigma que as fintechs têm promovido para os desbancarizados

Matheus Prado, do CNN Brasil Business, em São Paulo
21 de junho de 2021 às 09:56 | Atualizado 21 de junho de 2021 às 23:16

 

Depois de Warren Buffett, o Nubank anunciou, nesta segunda-feira (21), outro reforço de peso para sua turma: Anitta. E, segundo a marca, não se trata de uma mera parceria publicitária. A cantora passará a fazer parte do conselho de administração da fintech.

O acordo ocorre num momento em que o banco digital, que ultrapassou a marca de 40 milhões de clientes em 2021, avança com esforço prioritário nos mercados colombiano e mexicano. Não por acaso, são dois dos maiores redutos de fãs da artista fora do Brasil. Ou seja, a marca espera aproveitar a visão de mercado da artista, que possui experiência nos mercados em que a empresa quer crescer.

"Anitta tem profundo conhecimento do comportamento dos consumidores nesses mercados que tem explorado e tem muita experiência em estratégias de marketing vencedoras. Essas competências foram chave para a convidarmos para o conselho. Nenhum outro conselheiro possui essa experiência", diz David Vélez, CEO e fundador da empresa.  

A cantora, por sua vez, afirma que se interessou pelo projeto por conta da mudança de paradigma que as fintechs têm promovido para os desbancarizados.

"É muito chato e constrangedor não conseguir ter acesso a produtos financeiros. Muita gente na América Latina sempre viveu de emprego informal. Como essas pessoas vão ter histórico de crédito? Fiquei impressionada ao ver o trabalho do Nubank em fazer com que milhões de pessoas se sintam incluídas, podendo ter uma vida financeira melhor", afirma a cantora.

Conselho

Além da Anitta, participam do conselho do Nubank Anita Sands, professora da universidade americana de Princeton e ex-diretora de operações do banco suíço UBS, e Jacqueline Reses, ex-presidente da fintech Square e atual presidente do Conselho Consultivo Econômico do FED, o banco central norte-americano.

Também se sentam à mesa Daniel Goldberg, ex-presidente do Morgan Stanley no Brasil e ex-Secretário de Direito Econômico do Ministério da Justiça; o colombiano Luis Alberto Moreno, ex-presidente do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento); Doug Leone, Global Managing Partner e investidor da Sequoia Capital, membro do Conselho do Nubank desde 2016; e o próprio David Vélez, Chairman, CEO e fundador do Nubank. 

O banco, que já superou os US$ 2 bilhões captados em oito anos de existência, tem 'valuation' de cerca de US$ 30 bilhões. Isso é mais que o Banco do Brasil e o BTG, por exemplo.

David Vélez, Anitta e Cristina Junqueira
Foto: Divulgação/Nubank