Contra crise hídrica, empresários querem volta do horário de verão no Brasil

Entre 2013 e 2018 a economia de energia no Brasil passou de R$ 405 milhões para R$ 140 milhões

Alisson Negrini, da CNN, no Rio de Janeiro
16 de julho de 2021 às 19:02

 

Associações de restaurantes, do agronegócio e de distribuidores de energia elétrica defendem a volta do horário de verão como maneira de mitigar os efeitos da crise hídrica no Brasil. A medida foi extinta em 2019 em um decreto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), sob a alegação de que a medida tinha pouco efeito prático.

Entre 2013 e 2018 a economia de energia no Brasil passou de R$ 405 milhões para R$ 140 milhões. A justificativa é que a luz do sol entre às 6h e 8h foi substituída pela utilização do ar condicionado.

 

Porém, em cenário de crise hídrica, especialistas do setor de energia avaliam que podem minimizar efeitos do problema com o horário de verão. 

A Associação Nacional dos Restaurantes é publicamente favorável ao retorno do horário de verão, pois segundo eles os clientes ficam mais tempo nos restaurantes por conta da luz do sol.

Pôr do sol, em São Paulo
Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas