Ações da Netflix podem enfrentar dificuldade, após divulgação do lucro do 2º tri

Crescimento de assinantes ainda existe, mas ritmo diminuiu drasticamente

Julia Horowitz, CNN Business, em Londres
19 de julho de 2021 às 09:36
logo Netflix
Logo da Netflix (14/10/2014)
Foto: Mike Blake/File Photo/Reuters

Após atingir o auge de popularidade em 2020, a Netflix vive um ano desafiador. As ações, que subiram 67% no ano passado, caíram 1% em 2021. Ao mesmo tempo, o índice S&P 500 subiu 16%.

A justificativa está no crescimento de assinantes, que diminuiu drasticamente à medida que mais pessoas recebem vacinas contra a Covid-19, além do aumento da competição entre os serviços de streaming. A empresa também vem lançando menos programas de TV e filmes, resultado da desaceleração da produção relacionada ao 'lockdown'.

Os analistas acreditam que o lucro do segundo trimestre da Netflix, previsto para ser divulgado nesta terça-feira (20), não será dos melhores. As comparações serão difíceis, visto que a empresa adicionou impressionantes 10 milhões de assinantes durante o mesmo período de 2020. Agora, projeta-se aumento de 1 milhão de novos clientes.

"A pandemia provavelmente puxou parte da demanda", afirmou Tuna Amobi, analista do CFRA. Mas Wall Street continua extremamente otimista quanto ao futuro da empresa.

Apesar disso, o cardápio de conteúdo da Netflix para o segundo semestre deve atrair muita atenção, segundo Doug Anmuth, analista do JPMorgan. "Acreditamos que [a Netflix] poderia ter sua lista de conteúdo de 6 meses mais forte de todos", disse ele, em uma nota recente a clientes, apontando para o lançamento de novas temporadas de "Money Heist", "Sex Education" e "You", como bem como o filme de ação "Red Notice", estrelado por Dwayne Johnson (também conhecido como The Rock).

A Netflix também está tomando medidas para tornar seu produto ainda mais valioso aos olhos dos consumidores. Na semana passada, a Bloomberg informou que a empresa planeja oferecer videogames em seu serviço no próximo ano. 

Amobi vê isso como "uma progressão natural" para a empresa, embora seja um mercado difícil de entrar. O UBS estima que o mercado global de jogos movimente cerca de US$ 176 bilhões. "A empresa não está começando do zero", disse. "Eles têm algumas propriedades que podem reutilizar", o que pode "justificar aumentos de preço no futuro", afirmou.

A companhia também explora novas fontes de receita. No mês passado, anunciou que estava lançando uma loja online que venderia mercadorias de programas populares como "Stranger Things" — uma inspiração clara no modelo da concorrente Disney, que ganha muito dinheiro com propriedade intelectual com parques temáticos, camisetas e brinquedos de pelúcia. “Se você é um provedor de propriedade intelectual, não quer deixar nenhum dinheiro na mesa”, avaliou Amobi.