Cade deve intervir o mínimo possível no mercado, diz novo chefe da autarquia

O novo presidente do Cade, Alexandre Cordeiro, deu entrevista ao Jornal da CNN na noite desta segunda-feira (19)

do CNN Brasil Business, em São Paulo
19 de julho de 2021 às 22:37

 

O novo presidente do Cade, Alexandre Cordeiro, nomeado no último dia 12 para chefiar o Conselho Administrativo de Defesa Econômica, defende que a autarquia interfira o menos possível no mercado. 

"O Cade é conhecido pela qualidade de suas decisões, a intervenção no mercado é muito séria, o Cade tende a manter uma linha mais ortodoxa, com intervenção no limite do necessário para não cometer uma falha de governo", disse ao Jornal da CNN desta segunda-feira (19).

 

Sobre o aumento de 33% nas fusões e aquisições registrado no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, Cordeiro diz que será um desafio grande para o órgão, mas garante que será possível manter celeridade das decisões.

"Nosso corpo é técnico e bastante e preparado para poder dar conta desse recado. Mas é sempre bom contar com ajuda nessa força de trabalho", diz 

Cordeiro comentou ainda a decisão judicial que pediu que o Cade reavaliasse a fusão da Nestlé e da Garoto, anunciada há quase duas décadas. Para ele, o que o órgão ainda precisa definir é como será feita essa análise: se levando em conta a realidade do mercado em 2004, quando a operação foi feita, ou como é atualmente.

"Me parece mais racional e lógico que utilizemos os dados e características do mercado atual. O fato é que decisão judicial precisa ser cumprida, mas precisamos saber de que forma", diz.

 

Presidente do Cade, Alexandre Cordeiro Macedo
Foto: Moreira Oliveira/Agência Senado