De olho no pós-pandemia, Zoom compra Five9 por US$ 14,7 bilhões

Em junho, a empresa já havia anunciado planos de adquirir a empresa alemã Kites, que desenvolve tradução automática em tempo real

Rob McLean e Michelle Toh, do CNN Business
19 de julho de 2021 às 08:30
Zoom Logo
Foto: Dado Ruvic/Reuters

Zoom, a plataforma de videoconferência que se tornou extremamente popular durante a pandemia Covid-19, está gastando US$ 14,7 bilhões para comprar a empresa de software baseada em nuvem Five9. E, com isso, aumentar seu apelo junto aos clientes empresariais.

A marca anunciou a aquisição na noite de domingo (18). Em um comunicado, a empresa disse que a mudança "ajudará a aumentar sua presença com clientes corporativos e permitirá que ela acelere sua oportunidade de crescimento de longo prazo". Five9 fornece software para canais de atendimento ao cliente para mais de 2 mil empresas em todo o mundo.

A transação dará aos acionistas da Five9 cerca de 0,5 ação ordinária classe A do Zoom para cada ação da Five9 de sua propriedade. Eric Yuan, o fundador e CEO bilionário do Zoom, disse que a adição do Five9 foi um ajuste natural.

"As empresas se comunicam com seus clientes principalmente por meio de canais de atendimento, e acreditamos que esta aquisição cria uma plataforma líder de engajamento que ajudará a redefinir como as empresas de todos os tamanhos se conectam com seus consumidores", disse em comunicado.

Scott Kessler, analista que lidera cobertura de tecnologia, mídia e telecomunicações para a Third Bridge, disse que o acordo "parece ter a intenção de expandir as ofertas e relacionamentos corporativos da empresa, bem como seu mercado total endereçável".

"É importante notar que este será de longe o maior negócio de fusões e aquisições já feito pelo Zoom... talvez projetado para causar impacto sob uma perspectiva de diversificação", disse Kessler ao CNN Business.

Em junho, a empresa já havia anunciado planos de adquirir a empresa alemã Kites, que desenvolve tradução automática em tempo real. Os termos desse acordo não foram divulgados.

Zoom, uma empresa de 10 anos com sede em San Jose, Califórnia, tem sido uma das maiores histórias de sucesso da pandemia. Há apenas dois anos, a empresa era avaliada em quase US$ 16 bilhões. Desde então, sua capitalização de mercado aumentou para cerca de US$ 106,7 bilhões.

Mas, embora a crise do coronavírus tenha ajudado o Zoom a se tornar um nome familiar, a empresa enfrenta a pressão para encontrar novos caminhos de crescimento à medida que as economias reabrem e a necessidade de conferências remotas diminuem.

Mesmo com seu sucesso vertiginoso, analistas dizem que a companhia eventualmente também precisará adicionar novos recursos para encorajar mais pessoas a pagar por seus serviços.

A última aquisição da empresa permite que ela entre em um novo setor: centros de atendimento ao cliente. O próprio Zoom disse no domingo que estava procurando "construir a plataforma de engajamento do cliente do futuro", enquanto estimava que estava entrando em um "mercado de contact center de US$ 24 bilhões".

As duas empresas farão uma teleconferência, pelo Zoom, na segunda-feira (19) para compartilhar mais detalhes do negócio.

*Texto traduzido, clique aqui para ler o conteúdo original