JSL continuará com agenda de aquisições após a recusa da Tegma de unir negócios

A empresa disse que não houve oportunidade para demonstrar o preço justo das ações da JSL que seriam dadas como parte relevante do pagamento

Paula Arend Laier, da Reuters
19 de julho de 2021 às 11:13
JSL
Foto: Divulgação/Redes Sociais

A JSL afirmou nesta segunda-feira (19) que continuará executando sua agenda de aquisições, parte delas já em processo de negociação, apesar da negativa da rival Tegma a proposta de combinação de negócios das empresas de logística.

Na última sexta-feira, a Tegma comunicou que seu conselho de administração decidiu por unanimidade rejeitar a oferta da JSL, que incluía pagamento de R$  989 milhões aos acionistas da Tegma, além de 49,4 milhões de novas ações da JSL.

Em fato relevante nesta segunda-feira (19), a JSL disse que, no prazo de 15 dias, não foi convidada a se reunir com a Tegma e seus assessores para apresentar, em detalhes, o racional, os méritos da Operação e potenciais sinergias.

 Também acrescentou que não houve oportunidade para demonstrar o preço justo das ações da JSL que seriam dadas como parte relevante do pagamento.

Em virtude do caráter definitivo da proposta, a JSL afirmou que seguirá executando seu planejamento estratégico, seja de maneira orgânica ou através de aquisições, citando que o setor de logística no Brasil oferece inúmeras oportunidades, dada a sua grande fragmentação e potencial de consolidação.

Também disse que "continuará executando sua agenda de aquisições, parte delas já em processo de negociação, respeitando a disciplina no emprego de seu capital, com foco na melhoria dos retornos, prezando pela diligência em relação à geração de valor a todos os seus acionistas".