Largo Clean, dos EUA, vende baterias elétricas à Enel com vanádio da Bahia

Acordo prevê a entrega de baterias com capacidade 6,1 MWh de descarga durante período de 5 horas, para um projeto na Espanha com início para o 4º tri de 2022

Por Marta Nogueira, da Reuters
20 de julho de 2021 às 18:03
Enel
Logo da Enel
Foto: Flavio Lo Scalzo / Reuters

A Largo Clean Energy, com sede nos Estados Unidos, fechou com a Enel Green Power España seu primeiro contrato para venda de baterias elétricas com o mineral vanádio, extraído na Bahia pela coligada Largo Resources, informou a companhia em nota ao mercado.

O acordo prevê a entrega de baterias com capacidade 6,1 MWh de descarga durante período de 5 horas, para um projeto na Espanha com início das operações previsto para o quarto trimestre de 2022, disse a empresa, sem informar o valor e outros detalhes do negócio.

"O mundo precisa de armazenamento de energia de longa duração limpo e seguro e acreditamos que nosso sistema... pode ser uma parte significativa desta solução no futuro", disse em nota o presidente da Largo, Paulo Misk.

Em maio, Misk disse à Reuters que estava em negociações avançadas para fechar os primeiros contratos, e defendeu que as baterias de vanádio permitirão guardar energia por mais tempo e menos custos frente às rivais fabricadas com lítio.

A tecnologia de vanádio para baterias no mundo já existe, mas o uso em maior escala é esperado para os próximos anos.

As aplicações possíveis para os produtos incluem o uso associado a instalações de geração eólica ou solar, permitindo o armazenamento de excessos de produção para aproveitamento quando há falta de sol ou vento; e a instalação junto a sistemas de geração em regiões remotas e sem acesso à rede, por exemplo.