Escassez global de chips deve durar até 2022, estima Daimler

Daimler cortou produção este ano por causa da falta de chips, fazendo a empresa se concentrar em modelos com margens maiores

Por Nick Carey, da Reuters
21 de julho de 2021 às 16:12
Mercedes Logo Daimler
Foto: Michael Dalder/Reuters

 A escassez global de chips vai continuar atingindo a indústria automotiva no segundo semestre deste ano e vai se prolongar para 2022, afirmou a Daimler nesta quarta-feira (21).

Junto com outras montadoras, a Daimler cortou produção este ano por causa da falta de chips, fazendo a empresa se concentrar em modelos com margens maiores.

O vice-presidente financeiro, Harald Wilhelm, afirmou a investidores que a situação deve persistir até 2022, embora no próximo ano deverá ser menos severa que em 2021.

Algumas montadoras se adaptaram à falta de microprocessadores ao deixarem de instalar alguns recursos em seus modelos. A General Motors afirmou em março que algumas de suas picapes não terão um módulo de gestão de combustível, o que atinge a performance na economia de consumo.

A Daimler informou que espera margem ajustada de lucro na divisão de caminhões e ônibus este ano entre 6% e 7%, abaixo da expectativa anterior de 6% a 8%.