FMI anuncia reformas para intensificar apoio a países pobres na pandemia

As mudanças incluem um aumento de 45% nos limites para acesso ao crédito por esses governos e a manutenção dos juros dessas operações em 0%

Por André Marinho, do Estadão Conteúdo
22 de julho de 2021 às 18:28
Sede do FMI, em Washington, EUA (08/04/2019)
Sede do FMI, em Washington, EUA (08/04/2019)
Foto: Yuri Gripas/Reuters

 O Conselho Executivo do Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou, nesta quinta-feira (22) a aprovação de um conjunto de reformas na estrutura de empréstimos. Segundo comunicado, o objetivo é intensificar o apoio a países de baixa renda em meio à pandemia de coronavírus.

As mudanças incluem um aumento de 45% nos limites para acesso ao crédito por esses governos e a manutenção dos juros dessas operações em 0%. No ano passado, o empréstimos a nações pobres disparou mais de 8 vezes na comparação com o período de 2017 e 2019 e deve continuar crescendo, de acordo com o FMI.

Para ajudar a financiar as reformas, o FMI buscará cerca de US$ 18 bilhões entre países membros, além de US$ 4 bilhões em subsídios para apoiar os juros a 0%.

O Conselho ainda discutiu possíveis soluções para fortalecer sua estrutura de financiamento e chegou a debater uma possível venda das reservas de ouros do Fundo.