5 sinais de que o mercado imobiliário dos EUA está começando a desacelerar

Em uma pesquisa sobre o sentimento do comprador, um recorde de 79% dos entrevistados disseram que é um mau momento para comprar uma casa

Embora o mercado ainda seja muito forte para os padrões históricos, a maré parece estar mudando
Embora o mercado ainda seja muito forte para os padrões históricos, a maré parece estar mudando Getty Images

Anna Bahneydo CNN Business

Ouvir notícia

Há uma mudança acontecendo no mercado imobiliário americano.

Depois de mais de um ano de demanda crescente, preços de imóveis em alta e aumento das vendas dos bens, o mercado finalmente parece estar esfriando.
“O mercado imobiliário não está em colapso, mas está passando por uma ressaca, pois desce de uma alta insustentável”, disse Taylor Marr, vice-economista-chefe da Redfin.

As taxas de hipoteca aumentaram mais de dois pontos percentuais e meio este ano. E os custos mais altos de financiamento de uma casa mudaram os cálculos para muitos possíveis compradores. Como resultado, as vendas de casas ano após ano caíram nos últimos meses.

Em uma pesquisa da Fannie Mae sobre o sentimento do comprador, um recorde de 79% dos entrevistados disseram que é um mau momento para comprar uma casa.

“Enquanto muitos vendedores de casas já estão baixando seus preços, mais proprietários provavelmente decidirão ficar parados agora que a taxa de hipoteca de uma nova casa é significativamente maior do que a atual”, disse Marr.

Embora o mercado ainda seja muito forte para os padrões históricos, aqui estão cinco razões para acreditar que a maré está mudando.

1. O estoque de casas à venda está crescendo

Com a demanda por casas superando a oferta, o estoque de casas à venda vinha caindo consistentemente ano a ano durante o boom imobiliário da pandemia, disse Danielle Hale, economista-chefe da Realtor.com. “Estávamos falando sobre estoque baixo em 2019 e ele continuou piorando.”

Mas em maio o estoque começou a se mover em uma direção diferente, de acordo com os dados do Realtor.com, e na semana mais recente as listagens ativas aumentaram 13% em relação ao ano passado.

“Ver o número de casas aumentar é uma ótima notícia para os compradores”, disse Hale. “Isso muda a tendência e eles estão vendo mais casas. Isso deve ajudar a equilibrar o mercado, desacelerando o crescimento dos preços das casas e aumentando o tempo no mercado”.

Além dos altos custos que afastam potenciais compradores do mercado, parte do motivo pelo qual há mais anúncios é que mais proprietários estão decidindo vender, disse Hale. Mais novas listagens entraram no mercado em maio do que em qualquer outro mês desde junho de 2019, de acordo com o Realtor.com.

“Mas os preços das casas estão mostrando muito poder de aderência”, disse Hale. “O crescimento dos preços vai desacelerar, mas espero que os preços permaneçam altos. Se os vendedores de imóveis não conseguirem o preço que desejam, provavelmente não o colocarão no mercado.”

2. Mais cortes de preços

Se você está olhando para casas, pode estar percebendo algo que não vê há muito tempo: redução de preços.

Por um tempo, as casas foram vendidas tão rapidamente, e muitas vezes com guerras de lances, que os vendedores geralmente recebiam mais do que pediam. Mas, à medida que os desafios de acessibilidade apertam os compradores e há menos concorrência para comprar, alguns vendedores estão decidindo reduzir o preço.

Os cortes de preços foram observados em 10,5% das residências em maio, acima dos 6,2% em maio de 2021, de acordo com o Realtor.com. Mas isso não significa que haja uma liquidação de casas.

“A parcela de casas com redução de preço é maior agora, mas a parcela de maio ainda é menor do que em maio desde 2017”, disse Hale. “É menos competitivo do que no ano passado, mas ainda é bastante competitivo.”

3. As imobiliárias estão demitindo pessoas

Com menor atividade no mercado imobiliário, as imobiliárias anunciam demissões.

Esta semana, a Redfin disse que cortou cerca de 8% de seus funcionários e a Compass disse que reduziria sua força de trabalho em 10%.

A demanda pelos serviços da Redfin em maio ficou 17% abaixo das expectativas, disse o CEO da Redfin, Glenn Kelman. Como resultado, a empresa não está gerando trabalho suficiente para os agentes e a equipe de suporte.

“A demissão de hoje é resultado de déficits nas receitas da Redfin, não das pessoas que estão sendo demitidas”, disse ele.

Na Compass, 450 de seus 4.500 funcionários serão demitidos, “devido aos sinais claros de desaceleração do crescimento econômico”, segundo um comunicado da empresa.

Esses cortes seguem outras contrações no setor imobiliário, já que o mercado imobiliário em brasa começou a arder.

4. Os pedidos de hipoteca estão inativos

À medida que as taxas de hipoteca aumentaram, os possíveis compradores de casas estão solicitando menos empréstimos.

Na semana que terminou em 10 de junho, os pedidos de compra de hipotecas caíram 16% em relação ao ano anterior, de acordo com a Mortgage Bankers Association.

“Os pedidos de compra caíram em comparação com o ano passado, pois a escassez contínua de estoque e os desafios de acessibilidade esfriaram a demanda, coincidindo com o rápido salto nas taxas de hipoteca”, disse Joel Kan, vice-presidente associado de previsão econômica e industrial da MBA.

Com taxas de hipoteca bem acima de 5%, a atividade de refinanciamento que estava em alta quando as taxas estavam no fundo do poço durante a pandemia secou, ​​ficando mais de 70% abaixo do ano passado.

5. Menos pessoas estão comprando casas

Com os preços tão altos e as taxas de hipoteca ainda subindo, menos pessoas parecem estar comprando casas agora.

Um índice da Redfin que avalia a demanda de compradores de casas – medindo os pedidos de visitas domiciliares e outros serviços de compra de casas de agentes Redfin – caiu 14% ano a ano durante a semana encerrada em 12 de junho. Este foi o nono consecutivo semana de quedas no índice.

“Se não fosse pelo aumento das taxas de hipoteca, o mercado imobiliário ainda estaria em alta agora”, disse James Cappello, um agente da Redfin na Bay Area. “A demanda dos compradores de casas ainda estava extremamente alta em fevereiro, mas as taxas estão dificultando muito. Passar de 3% para quase 6% quase instantaneamente assustou muitas pessoas do mercado.”

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN