54% dos empresários precisam de crédito para alavancar Dia dos Namorados, diz pesquisa

Segundo a empresa, houve queda de 24 pontos percentuais na comparação com o mesmo estudo no ano passado

Foto: Reprodução / CNN

Fabrício Juliãodo CNN Brasil Business

em São Paulo

Ouvir notícia

Para este Dia dos Namorados, 54% dos empresários afirmam precisar de crédito para conseguir alavancar as vendas durante a data, segundo pesquisa feita pela Boa Vista.

De acordo com a empresa, houve uma queda de 24 pontos percentuais na comparação com o mesmo estudo no ano passado, quando 78% dos entrevistados disseram que precisavam recorrer a crédito para promover seus produtos e serviços.

O economista da Boa Vista Flávio Calife acredita que a redução na procura de crédito é justificável, em razão do custo muito mais elevado do que um ano atrás.

Em junho de 2021, a Selic estava na casa dos 3,50%. Agora, a taxa básica de juros está na marca de 12,75%, podendo ainda subir na próxima reunião do Copom, prevista para acontecer nos dias 15 e 16 de junho.

As linhas de crédito dos bancos são as mais procuradas entre aqueles que irão buscar crédito para tentar vender.

Dos que irão recorrer a crédito, 79% disseram que seguiram esse caminho. O dado representa um aumento de 19 pontos percentuais, já que em 2021, 60% informaram que recorreriam a essas instituições financeiras.

“É importante lembrar que no ano passado 17% daqueles que buscaram crédito recorreram à ‘família’ e essa queda de um ano para o outro também tem explicação. Os juros subiram na tentativa de conter o avanço da inflação, que ainda não cedeu, e o poder de compra das famílias foi impactado pelas pressões inflacionárias, que não foram poucas e que também atingiram itens básicos da cesta de consumo, como alimentos e combustíveis. Com menos renda disponível, naturalmente ficou mais difícil recorrer a esta fonte”, analisou o economista

A pesquisa da Boa Vista ocorreu em maio deste ano e contou com 500 empresas dos setores do comércio, serviços e indústria, de micro, pequeno, médio e grande porte. Elas responderam um questionaram via e-mail. 

 

Mais Recentes da CNN