Airbnb anuncia que vai abrigar até 100 mil refugiados ucranianos

Empresa de aluguel de casas ofereceu ajuda a líderes da Polônia, Romênia, Alemanha e Hungria; até agora, pelo menos 300 mil ucranianos entraram na União Europeia para fugir do conflito

Da Reuters

Ouvir notícia

A empresa de aluguel de casas Airbnb disse nesta segunda-feira (28) que seu braço sem fins lucrativos Airbnb.org oferecerá moradia gratuita e temporária para até 100.000 refugiados que fogem da Ucrânia.

O CEO Brian Chesky e Joe Gebbia, presidente do Airbnb.org, enviaram cartas a líderes da Polônia, Romênia, Alemanha e Hungria oferecendo ajuda para abrigar os refugiados. Os países compartilham fronteiras com a Ucrânia.

Pelo menos 300.000 refugiados ucranianos entraram na União Europeia até agora depois que a Rússia invadiu o país e o bloco precisa se preparar para outros milhões, disseram autoridades da UE e da França.

O Airbnb.org, que oferece estadias temporárias para pessoas durante crises, trabalhará em estreita colaboração com os governos para ajudar a atender às necessidades de cada país, inclusive oferecendo estadias de longo prazo.

As estadias serão financiadas pelo Airbnb, doadores do Airbnb.org Refugee Fund e anfitriões do Airbnb.org.

Várias outras empresas também ofereceram suporte a empresas e consumidores na Ucrânia, com a varejista de artesanato on-line Etsy renunciando a saldos de cerca de US$ 4 milhões devidos por vendedores no país.

A Verizon Communications disse que renunciaria às cobranças de chamadas para a Ucrânia para alguns clientes, enquanto a britânica Virgin Media O2 removeu as cobranças pelo uso de dados na Ucrânia.

Mais Recentes da CNN