Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Airbnb torna permanente proibição de festas nas casas listadas na plataforma

    Medida adotada durante o início da pandemia da Covid-19 será definitiva, após a empresa registrar queda de festas não autorizadas

    Da Reuters

    Ouvir notícia

    O Airbnb comunicou nesta terça-feira (28) que tornará permanente a proibição de festas em casas listadas em sua plataforma. A medida ocorre depois que foi registrada uma queda acentuada nos relatos de reuniões não autorizadas desde que a proibição foi implementada em agosto de 2020.

    A empresa anunciou uma queda de 44% ao ano na taxa desde a implementação da política, que foi adotada para impedir a propagação de infecções por Covid-19. Agora, o Airbnb quer tornar a proibição permanente assim que a temporada de viagens de verão começar.

    “Este é um problema em que não sei se diria que há uma linha de chegada”, disse Ben Breit, porta-voz da empresa, acrescentando que ela continuará trabalhando para resolver o problema.

    O Airbnb disse que também removerá seu limite de 16 pessoas, permitindo que casas maiores listadas na plataforma sejam reservadas para ocupação total.

    Em 2019, a plataforma começou a impor limites muito mais rígidos, começando com a proibição global das chamadas “casas de festas” ou anúncios que criam incômodos persistentes na vizinhança.

    As opções de pesquisa da empresa também foram atualizadas durante a pandemia, removendo tanto o filtro de busca “favorável a eventos” quanto as regras da casa “festas e eventos permitidos”. Mais de 6.600 convidados e alguns anfitriões foram suspensos em 2021 por tentar violar a proibição de festas.

    Em maio de 2022, o Airbnb informou que a receita aumentou 70% em relação ao ano anterior, gerando US$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre de 2022. A empresa também projetou receita acima das estimativas de mercado para o segundo trimestre do ano, esperando trazer entre US$ 2,03 bilhões e US$ 2,13 bilhões.

    Tópicos

    Tópicos

    Mais Recentes da CNN