Alexandre Schwartsman: IPCA deve superar bastante a meta da inflação

O IPCA-15 foi divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e apontou para um recuo no mês de janeiro

Pedro Zanattada CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O Especialista CNN Alexandre Schwartsman analisou, nesta quinta-feira (27), os resultados do IPCA-15, a prévia da inflação brasileira, que, no mês de janeiro, registrou alta de 0,58%.

Para Schwartsman, o resultado “surpreendeu, já que o esperado era uma inflação em torno de 0,45%, uma diferença razoavelmente grande”.

O economista disse que a expectativa era de uma maior baixa, pois, “naquele determinado momento, tínhamos observado uma queda no preço dos combustíveis que se imaginava que ajudaria a trazer a inflação para baixo”, disse.

Outro ponto que o especialista avaliou foi a disseminação da inflação. “Nesse período, quase três quartos dos bens e serviços que compõem o IPCA apresentaram uma elevação de preços. Para termos uma ideia, mesmo no ano passado, que foi um ano de inflação alta, a média mensal era de que 60% dos preços aumentavam a cada leitura do índice. Agora, a média está em 75%, mostrando uma inflação bem mais disseminada.”

Schwartsman avaliou que “a combinação de, por um lado, o fenômeno disseminado e, por outro, um fenômeno que está indo muito além daqueles produtos que costumamos prestar mais a atenção, sugere que se trata de um fator persistente”.

Por fim, para Schwartsman, o índice pode fechar o ano acima daquilo que vem sendo projetado. “Deve ficar em um patamar inferior ao do ano passado, entre 4% e 5%. No entanto, ela vai superar bastante a meta de inflação para este ano e, provavelmente, o teto estabelecido de 5%”, afirmou.

Veja mais no vídeo acima.

Mais Recentes da CNN