Alibaba recebe multa recorde de US$ 2,8 bilhões da China por ‘monopólio’

A multa é equivalente a 4% das vendas do Alibaba na China em 2019, informou a agência de notícias estatal Xinhua

Foto: REUTERS/Charles Platiau/Foto de arquivo

Mark Thompson and Pauline Lockwood, CNN Business

Ouvir notícia

A China ordenou que o Alibaba pague uma multa recorde de 18,2 bilhões de yuans (US$ 2,8 bilhões) depois que os reguladores antitruste concluíram que o gigante das compras online está se comportando como um monopólio.

A mídia estatal chinesa informou no sábado que a Administração Estatal de Regulamentação do Mercado impôs a pena após uma investigação antitruste sobre os “acordos de negociação exclusiva” do Alibaba (BABA) que impediam os comerciantes de vender produtos em plataformas de comércio eletrônico rivais – uma prática conhecida como “escolher um de dois”.

A multa é equivalente a 4% das vendas do Alibaba na China em 2019, informou a agência de notícias estatal Xinhua, e supera a penalidade recorde anterior de US$ 975 milhões concedida à fabricante de chips americana Qualcomm (QCOM) em 2015.

Pequim tem apertado os parafusos dos campeões nacionais de tecnologia da China nos últimos meses, parte de uma repressão regulatória que o presidente Xi Jinping descreveu como uma das principais prioridades do país para 2021.

No mês passado, Xi instou as autoridades a intensificarem seus esforços para regulamentar online empresas para manter a estabilidade social.

Co-fundada pelo lendário empresário Jack Ma, a Alibaba é uma das empresas privadas mais proeminentes e bem-sucedidas da China. Ao dar esse exemplo de destaque, os reguladores chineses estão enviando uma mensagem clara sobre sua intenção de controlar as empresas mais poderosas do país.

Ma tem se mantido discreto desde que o Ant Group, afiliado financeiro do Alibaba, foi forçado a arquivar o que teria sido o maior IPO do mundo em novembro passado, depois de criticar os reguladores chineses. Desde então, Ma fez apenas uma breve aparição pública em um vídeo em janeiro, e o Ant Group – que é dono do aplicativo de pagamentos digitais altamente popular Alipay – recebeu ordens para reformular seus negócios.

Em uma carta aberta publicada no sábado, o Alibaba disse que a empresa cooperou com a investigação e aceitou a penalidade “com sinceridade e garantirá nosso cumprimento das determinações”.

“O Alibaba não teria alcançado nosso crescimento sem uma regulamentação e serviços governamentais sólidos, e a supervisão crítica, tolerância e apoio de todos os nossos constituintes foram cruciais para nosso desenvolvimento. Por isso, estamos cheios de gratidão e respeito”, acrescentou. “Não nos esquece que a sociedade atual tem novas expectativas para as empresas de plataforma, pois devemos assumir mais responsabilidades como parte do desenvolvimento econômico e social do país.”

Há muito tempo Pequim se preocupa com o fato de que a influência das empresas de tecnologia sobre o setor financeiro torna esse setor vulnerável – o Ant, por exemplo, agora comanda mais da metade do mercado de pagamentos móveis na China – e as autoridades procuram maneiras de controlá-los.

Outras empresas de tecnologia podem ser as próximas na linha de fogo.

Os reguladores questionaram executivos da Tencent (TCEHY) e Pinduoduo (PDD), puniram o proprietário da TikTok Bytedance e Baidu (BIDU) com multas por supostos comportamentos monopolistas em aquisições corporativas e lançaram novas regras que poderiam reger as operações em muitas empresas de tecnologia.

A Tencent está supostamente enfrentando uma investigação por supostas práticas monopolistas em seu aplicativo de rede social WeChat. A empresa, que domina os pagamentos online na China via WeChat Pay e possui jogos para celular extremamente populares, disse em um comunicado no mês passado que uma reunião recente com os reguladores foi “voluntária”.

“A Tencent tem se reunido regularmente com os reguladores, e esta foi uma reunião regular”, disse o comunicado. “Discutimos uma ampla gama de tópicos, principalmente focados em fomentar a inovação e criar um ambiente saudável para a evolução da indústria. A Tencent sempre conduziu e continuará conduzindo nossas operações em conformidade com as leis e regulamentos relevantes.”

Mais Recentes da CNN