Após debandada, Guedes avalia soluções caseiras para postos vagos na Economia

Segundo interlocutores do ministro, ele considera fazer mudanças nas funções de Esteves Colnago, de Relações Institucionais, e Adolfo Sachsida, de Política Econômica

Gustavo Uribeda CNN

de Brasília

Ouvir notícia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, avalia soluções caseiras para os postos que ficaram vagos na pasta após a debandada de secretários na noite de quinta-feira (21).

Segundo o relato feito à CNN Brasil por interlocutores do ministro, ele avalia o nome do economista Esteves Colnago, chefe da assessoria de Relações Institucionais do Ministério da Economia, para a secretaria do Tesouro e Orçamento.

Já para o posto de secretário do Tesouro Nacional, o ministro considera o nome de Adolfo Sachsida, atual secretário de Política Econômica do Ministério da Economia.

Ainda na noite de quinta-feira (21), Paulo Guedes avisou ao Palácio do Planalto que não pretende deixar o comando da pasta neste momento.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou à CNN nesta quinta-feira (21) que o ministro da Economia, Paulo Guedes, segue no governo, apesar da saída de membros de sua equipe.

“Paulo Guedes continua no governo e o governo segue com a agenda de reformas. Defendemos as reformas, que seguem no Congresso Nacional”, afirmou.

Mais Recentes da CNN