Após suspensão na China, reguladores sugerem que Didi adie IPO nos EUA

A empresa enfrentava pressão de investidores para fazer o IPO, após levantar bilhões de dólares de investidores importantes

Foto: Didi / Reprodução

Por Dow Jones Newswires, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Semanas antes da Didi Global realizar sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações, o órgão regulador da segurança cibernética da China sugeriu que a gigante de aplicativos de corrida de carros adiasse seu IPO e pediu uma avaliação interna de sua rede de segurança, segundo fontes ligadas ao assunto.

Para a Didi, esperar seria problemático e, na ausência de uma ordem clara para interromper o processo, ela foi adiante.

A empresa enfrentava pressão de investidores para fazer o IPO, após levantar bilhões de dólares de investidores importantes.

Ela levantou cerca de US$ 4,4 bilhões no IPO, na maior operação do tipo para uma companhia chinesa desde o IPO do Alibaba em 2014.

Em Pequim, autoridades, sobretudo da Administração do Ciberespaço da China, seguiam temerosos sobre o risco de que os dados de que a companhia dispunha pudessem passar a mãos estrangeiras, disseram fontes.

Os papéis da Didi em Nova York começaram a ser negociados na quarta-feira. Na sexta-feira, o regulador do ciberespaço começou sua própria revisão do setor na Didi e bloqueou o aplicativo da companhia de receber novos usuários. No domingo, determinou que as lojas de aplicativos retirassem o da Didi de circulação.

Mais Recentes da CNN