Bolsas da Ásia fecham em baixa com temor renovado sobre Covid-19 na China

Vice-premiê chinesa, Sun Chunlan pediu iniciativas mais abrangentes para conter a transmissão da Covid-19 em Pequim, que teve um novo aumento de casos

Pessoa caminha em passarela sobre quadro eletronico mostrando cotações da bolsa chinesa, em Xangai
Pessoa caminha em passarela sobre quadro eletronico mostrando cotações da bolsa chinesa, em Xangai 06/01/2021REUTERS/Aly Song

Sergio Caldas, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta terça-feira (24), à medida que restrições mais duras contra a Covid-19 em Pequim, a capital chinesa, realimentaram preocupações com a desaceleração da segunda maior economia do mundo.

Na China continental, o índice Xangai Composto caiu 2,41%, a 3.070,93 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve queda ainda mais expressiva, de 3,62%, a 1.922,48 pontos.

Vice-premiê chinesa, Sun Chunlan pediu iniciativas mais abrangentes para conter a transmissão da Covid-19 em Pequim, que teve um novo aumento de casos, durante visita de inspeção à cidade.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei recuou 0,94% em Tóquio, a 26.748,14 pontos, enquanto o Hang Seng se desvalorizou 1,75% em Hong Kong, a 20.112,10 pontos, o sul-coreano Kospi caiu 1,57% em Seul, a 2.605,87 pontos, e o Taiex registrou perda de 1,19% em Taiwan, a 15.963,63 pontos.

Com os temores sobre a pandemia de volta à tona, ficou em segundo plano declaração do presidente dos EUA, Joe Biden, que na última segunda-feira disse que em breve discutirá com a Secretária do Tesouro do país, Janet Yellen, a possibilidade de retirar algumas das tarifas impostas a produtos chineses durante o governo Trump.

Na Oceania, a bolsa australiana também ficou no vermelho hoje, com baixa de 0,28% do S&P/ASX 200 em Sydney, a 7.128,80 pontos.

Mais Recentes da CNN