Bunge compra 33% da revendedora de insumos agrícolas Sinagro

Negócio está sujeito à aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade)

Soja é carregada em caminhão
Soja é carregada em caminhão 17/02/2020 REUTERS/Jorge Adorno

Por Nayara Figueiredo, da Reuters

Ouvir notícia

A Bunge fechou acordo com a UPL e demais acionistas para aquisição de 33% da Sinagro, que é importante revendedora de grãos e produtos agrícolas com atuação no Cerrado brasileiro, informou a Bunge em nota na noite da última quarta-feira (19).

O negócio está sujeito à aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

“Esta transação contribuirá para a capacidade de originação de grãos da Bunge e para seu acesso aos produtores da região”, disse o vice-presidente de Agronegócios da Bunge, Rossano de Angelis Junior, em comunicado.

Ele ressaltou que a revendedora já utiliza os mesmos critérios socioambientais para avaliação de fornecedores que a Bunge.

“A participação da Bunge deverá contribuir para a Sinagro em diversas frentes. Além de sua expertise em originação, logística e gestão de riscos, a Bunge tem uma reputação global destacada e uma forte presença no agronegócio brasileiro, que aliada à UPL fortalecerá as bases da Sinagro”, disse na nota o CEO da UPL Brasil, Rogério Castro.

“Além disso, esta transação vai acelerar o plano de expansão da Sinagro, que é, afinal, o principal objetivo.”

Com 20 anos de atuação, a Sinagro tem sua estratégia de originação voltada para produtores e apoiada por suas mais de 30 unidades, entre lojas e armazéns. Ela está presente em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Bahia, Tocantins, Pará e Minas Gerais.

 

Mais Recentes da CNN