CEO de corretora de criptomoedas se torna um dos maiores bilionários do mundo

Changpeng Zhao, que administra exchange Binance, acumula patrimônio líquido de pelo menos US$ 96 bilhões, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index

A ascensão do empresário é emblemática da rápida criação de riqueza no mundo veloz das moedas digitais.
A ascensão do empresário é emblemática da rápida criação de riqueza no mundo veloz das moedas digitais. REUTERS/Darrin Zammit Lupi

Michelle Tohdo CNN Business*

em Hong Kong

Ouvir notícia

Um CEO do setor de criptomoedas se tornou uma das pessoas mais ricas da Terra.

Changpeng “CZ” Zhao, que administra a exchange de criptomoedas Binance, se juntou ao ranking dos maiores bilionários do mundo, com um patrimônio líquido estimado em pelo menos US$ 96 bilhões, de acordo com novos cálculos do Bloomberg Billionaires Index publicados na última segunda-feira (10).

A fortuna projetada de Zhao agora rivaliza com a do fundador da Oracle, Larry Ellison, e supera a de Mukesh Ambani, o magnata indiano cuja fortuna também disparou nos últimos dois anos.

A ascensão do empresário sino-canadense é emblemática da rápida criação de riqueza no mundo veloz das moedas digitais.

No ano passado, outros fundadores de criptomoedas também tiveram grandes ganhos à medida que o valor das moedas virtuais subiu, com o criador do ethereum, Vitalik Buterin, e o fundador da Coinbase, Brian Armstrong, se tornando bilionários.

Sam Bankman-Fried, CEO da FTX, outra exchange de criptomoedas apoiada pela Binance, apontou nesta terça-feira (11) para uma “quantidade sem precedentes de criação de riqueza que ocorreu no setor nos últimos anos”.

“Acho que muitas pessoas estão tentando descobrir o que fazer com isso”, disse Friedman, que é um jovem bilionário, durante uma discussão virtual no palco do Fórum Financeiro Asiático em Hong Kong.

Em um post no Twitter na segunda-feira, Zhao também pareceu reconhecer a distinção.

“Não se preocupe com os rankings. Concentre-se em quantas pessoas você pode ajudar”, escreveu ele.

Zhao seguiu dizendo: “Opinião impopular: em vez de classificações de riqueza, deve haver uma classificação de esforços de caridade e filantropia”.

Um porta-voz da Binance disse à CNN Business que “CZ pretende doar a maior parte de sua riqueza, até 99% de sua riqueza, assim como outros empreendedores e fundadores”.

Nos últimos anos, outros líderes empresariais famosos, como o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, assinaram o Giving Pledge, uma iniciativa iniciada por Warren Buffett e Bill e Melinda Gates para incentivar os mais ricos do mundo a doar a maior parte de suas fortunas para instituições de caridade. .

Zhao lançou a Binance em 2017, transformando-a gradualmente em uma das maiores exchanges de criptomoedas do mundo.

De acordo com uma postagem no blog da empresa, o executivo cresceu em uma família de imigrantes no Canadá e trabalhou anteriormente no McDonald’s para ajudar a sustentar sua casa.

Depois de estudar ciência da computação na Universidade McGill, trabalhou em software de negociação para a Bolsa de Valores de Tóquio e Bloomberg.

“Ele então aprendeu sobre bitcoin em 2013 durante um jogo de pôquer, após o qual decidiu apostar tudo em criptomoedas, dedicando sua vida a isso”, segundo a Binance. “Ele até vendeu seu apartamento para comprar bitcoin.”

Como outras exchanges, a Binance enfrentou obstáculos regulatórios significativos em todo o mundo nos últimos meses, incluindo uma proibição no Reino Unido e outras restrições em países como o Canadá.

Zhao abordou publicamente os contratempos, escrevendo em uma carta aberta no ano passado que “regulamentos claros são críticos para o crescimento contínuo”.

“Mais regulamentações são, de fato, sinais positivos de que uma indústria está amadurecendo”, acrescentou.

“Porque isso estabelece as bases para que uma população mais ampla se sinta segura para participar de criptomoedas.”

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN