Chefe do FMI acusa gabinete de ex-presidente do Banco Mundial de manipulação

Kristalina Georgieva fez duras críticas a um relatório independente sobre seu suposto papel em um escândalo de manipulação de dados relacionados à China

Georgieva, que tem sido pressionada a renunciar, criticou o relatório
Georgieva, que tem sido pressionada a renunciar, criticou o relatório Foto: Divulgação

Andrea Shalalda Reuters

da Reuters

Ouvir notícia

A diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, fez duras críticas nesta sexta-feira (24) a um relatório independente sobre seu suposto papel em um escândalo de manipulação de dados relacionados à China enquanto estava no Banco Mundial, dizendo que continha “erros fundamentais” e substituiu fatos por insinuações.

Ela também acusou o gabinete do ex-presidente do banco Jim Kong Kim de manipulação, dizendo que ele havia proposto incluir dados de Hong Kong na classificação da China no relatório Doing Business 2018 do Banco Mundial, para impulsionar a posição da China.

Georgieva, que tem sido pressionada a renunciar, criticou o relatório, elaborado pelo escritório de advocacia WilmerHale, em declaração detalhada à diretoria do Fundo Monetário Internacional (FMI), que está analisando o assunto.

 

Mais Recentes da CNN