China deverá retomar importação de carne do Brasil, afirma especialista

À CNN Rádio, o professor Roberto Dumas explicou que a Organização Mundial da Saúde Animal apontou que não há risco de proliferação de casos de vaca louca

Relatório da Organização Mundial da Saúde Animal (OMSA) favorece a retomada dos negócios
Relatório da Organização Mundial da Saúde Animal (OMSA) favorece a retomada dos negócios Divulgação/Abiec (12.ago.2011)

Amanda Garciada CNN*

Em São Paulo

Ouvir notícia

A Organização Mundial da Saúde Animal (OMSA) concluiu um relatório a respeito dos dois casos de “mal da vaca louca” identificados no Brasil e apontou que não há risco de proliferação da doença, segundo o professor de economia do Insper, Roberto Dumas.

Em entrevista à CNN Rádio nesta quarta-feira (15), ele avaliou que o Ministério da Agricultura foi “bastante ágil” para pedir à OMSA uma avaliação, que já afirmou que o país tem “casos isolados e independentes.”

O próximo passo, de acordo com Dumas, é a China, que interrompeu a importação da carne brasileira, assim como a Arábia Saudita, avalia o relatório. “Espera-se que em uma ou duas semanas a importação seja retomada.”

O economista ainda reforçou que é necessário ter pressa para a liberação novamente: “É importante que seja resolvido rapidamente com os chineses, porque a OMSA já disse que não tem problema e há um caso grave aí que é o custo logístico, porque se eu embarquei carne para algum país e no meio do caminho a nação coloca sanção, o exportador tem que arcar com o transporte, que está caríssimo.”

Roberto Dumas também disse acreditar que a demanda chinesa pela proteína animal do Brasil não diminuirá e, com isso, “vai ser difícil a carne baixar de preço no curto prazo.”

*Com produção de Bel Campos

Mais Recentes da CNN