Citigroup vai demitir funcionários não vacinados neste mês nos EUA

Banco dos Estados Unidos anunciou seu plano de impor novas regras de vacinação em outubro e agora se torna a primeira grande instituição de Wall Street a seguir com um mandato estrito de vacinação

Logotipo do Citibank, no topo de um edifício de Miami, Florida
Logotipo do Citibank, no topo de um edifício de Miami, Florida LightRocket via Getty Images

Da CNN

Ouvir notícia

Funcionários do Citigroup nos Estados Unidos que não foram vacinados contra a Covid-19 até 14 de janeiro serão colocados em licença sem vencimento e demitidos no final do mês, a menos que recebam uma isenção, disse uma fonte familiarizada com o assunto na sexta-feira.

O banco dos Estados Unidos anunciou seu plano de impor novas regras de vacinação em outubro e agora se torna a primeira grande instituição de Wall Street a seguir com um mandato estrito de vacinação.

Mudança ocorre em um momento em que o setor financeiro pensa em estratégias para trazer os funcionários de volta aos escritórios com segurança e voltar aos negócios normalmente à medida que a variante do coronavírus Ômicron, altamente infecciosa, está se espalhando como um incêndio pelo país.

Outros grandes bancos de Wall Street, incluindo Goldman Sachs (GS), Morgan Stanley (MS) e JPMorgan Chase (JPM), disseram a alguns funcionários não vacinados que trabalhassem de casa, mas nenhum deles chegou a despedir funcionários.

Embora o Citigroup seja o primeiro banco de Wall Street a impor um mandato de vacina, um punhado de outras grandes empresas dos EUA introduziram políticas “no-jab, no-job“, incluindo Google e United Airlines, com vários graus de rigor.

Mais de 90% dos funcionários do Citigroup cumpriram com o mandato até agora e esse número está aumentando rapidamente, disse a fonte, acrescentando que o momento do mandato de vacinação seria diferente para o pessoal das agências.

 

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN