Com expectativa de fim do veto, ministra da Agricultura não deve viajar à China

Após sinalização de ministro chinês, o governo brasileiro espera que embargo à carne brasileira seja solucionado nesta semana

Ministra da Agricultura, Tereza Cristina
Ministra da Agricultura, Tereza Cristina Isac Nóbrega/PR

Gustavo Uribeda CNN

Brasília

Ouvir notícia

Com a expectativa positiva do governo brasileiro, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, não deve viajar nesta semana à China na tentativa de encerrar o embargo do país asiático à carne brasileira.

Segundo relatos feitos à CNN Brasil de auxiliares da ministra, ela decidiu permanecer pelo menos por enquanto no Brasil à espera de uma resposta do governo chinês sobre a última solicitação feita pela administração brasileira.

Na semana passada, a ministra enviou carta às autoridades chinesas se colocando à disposição para viajar ao país asiático para tratar pessoalmente sobre o veto à carne brasileira, que já dura sete semanas.

A expectativa de auxiliares do governo é de que ela embarcasse à China já nesta semana.

Na última quinta-feira (21), no entanto, o ministro de Negócios Estrangeiros da China, Wang Yi, disse ao chanceler brasileiro, Carlos França, que o impasse deve ser resolvido rapidamente.

Na quarta-feira (20), o Ministério da Agricultura autorizou os produtores de carne brasileira a armazenarem em contêineres refrigerados a proteína animal que seria destinada à China.

Para evitar o acúmulo da produção, a pasta também orientou os frigoríficos brasileiros a venderem a carne bovina ao mercado interno ou a outros países importadores do produto.

O Brasil interrompeu voluntariamente a exportação de carne para a China, seu maior mercado, ainda no começo de setembro, após a confirmação de dois casos da doença da vaca louca em duas fábricas.

Depois, porém, mesmo com o controle dos casos no Brasil, a interrupção foi mantida pelo país asiático.

Mais Recentes da CNN