Confiança do comércio registra queda em março, aponta FGV

Incerteza gerada pelo conflito entre Rússia e Ucrânia foi um dos motivos para o recuo frente a fevereiro, diz o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV-IBRE)

Pessoas caminham em rua de comércio popular no Rio de Janeiro
Pessoas caminham em rua de comércio popular no Rio de Janeiro Reuters

Rayane Rochada CNN*

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A confiança do comércio no Brasil teve queda em março. Depois de alta em fevereiro, os níveis do setor recuaram 0,2 ponto neste mês. Com o resultado, o Índice de Confiança do Comércio (ICOM) passou de 87,0 para 86,8 pontos.

Os números, medidos pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV-IBRE), foram divulgados nesta quarta-feira (30).

De acordo a entidade, a atual conjuntura política internacional e a intensa baixa nas expectativas para os próximos meses são alguns dos motivos que influenciaram o desempenho negativo na última análise mensal.

 

Ao todo, quatro dos seis principais segmentos do ramo declinaram neste período. Só o Índice de Expectativas (IE-COM) declinou 10,0 pontos. Com a retração, o indicador chegou aos 86,4 pontos.

Este é o patamar mais baixo já registrado desde março de 2021. À época, foram 70,2 pontos.

O economista do FGV-IBRE, Rodolpho Tobler, ressalta que o cenário não deve ser muito diferente a curto prazo.

“O patamar da confiança continua baixo e ainda não é possível imaginar uma recuperação mais consistente nos próximos meses, dado o cenário macroeconômico negativo e a provável manutenção de níveis elevados de incerteza”, afirma.

Tobler também chama a atenção para o os reflexos do conflito no leste europeu no país e como eles influenciam o setor.

“Pelo lado das expectativas, a queda mais intensa pode ter sido influenciada pelo aumento da incerteza ao longo do mês, em especial aquelas relacionadas aos desdobramentos da Guerra”, destaca.

*Sob supervisão de Fabiana Lima

Mais Recentes da CNN