Conheça os passageiros do voo espacial da Blue Origin desta quinta-feira (31)

Além de um funcionário da companhia, empresários e investidores estão na lista de voo

Foguete New Shepard, da Blue Origin
Foguete New Shepard, da Blue Origin Reprodução/Blue Origin

Catherine ThorbeckeJackie Wattlesdo CNN Business

Ouvir notícia

Pete Davidson foi inicialmente programado para ser o próximo nome chamativo a voar a bordo do foguete de turismo espacial suborbital desenvolvido pela empresa de Jeff Bezos, Blue Origin, depois que a empresa espacial comercial lançou vários outros rostos famosos em seu voos anteriores.

Mas o comediante desistiu abruptamente da missão depois que uma mudança de horário atrasou o voo em uma semana.

Seu assento foi dado ao funcionário de longa data da empresa Gary Lai, o arquiteto-chefe do próprio foguete em que ele voará. Lai será acompanhado por cinco clientes pagantes que tiveram os meios para distribuir uma quantia não revelada por um dos cobiçados assentos da cápsula da tripulação.

A decolagem do veículo de lançamento New Shepard estava programada para a manhã de terça-feira, mas a empresa disse que espera ventos fortes em suas instalações perto de Van Horn, Texas.

A Blue Origin agora está mirando nesta quinta-feira (31) às 8h30 CT (horário da região central nos EUA). Os interessados ​​em capturar a ação – que deve se parecer muito com os três passeios suborbitais anteriores da Blue Origin – podem sintonizar o webcast da empresa na manhã desta quinta-feira.

O voo será breve. É uma excursão para cima e para baixo de aproximadamente 10 minutos que começará com o foguete acionando seus motores e atingindo mais de três vezes a velocidade do som enquanto impulsiona a cápsula da tripulação a mais de 60 milhas acima da superfície da Terra.

Os passageiros experimentarão alguns minutos de ausência de gravidade e vistas arrebatadoras do planeta abaixo, antes que a gravidade os arraste de volta à Terra e a cápsula abra paraquedas para garantir um pouso suave perto do local de lançamento.

Não está claro quanto os clientes pagantes desta missão pagaram, e a Blue Origin não divulgou um preço fixo do bilhete.

Mas sabemos que pelo menos um passageiro em potencial ganhou um leilão por uma passagem para voar ao lado de Bezos no ano passado por incríveis US$ 28 milhões.(Aquele passageiro, no entanto, não acabou voando no voo de Bezos.)

Também sabemos que outro participante do jogo de turismo espacial suborbital, a Virgin Galactic, está vendendo seus assentos por US$ 450 mil cada. Se os passageiros pagaram algumas centenas de milhares de dólares ou alguns milhões, é seguro dizer que essas missões não serão acessíveis para o consumidor médio tão cedo.

Aqui está uma visão em alguns dos próximos turistas espaciais que serão lançados na missão da Blue Origin nesta quinta-feira.

Gary Lai

Lai, o único passageiro não pagante no voo suborbital de quinta-feira, estava entre os primeiros 20 funcionários da Blue Origin após ingressar na empresa em 2004.

Ele foi creditado como o “arquiteto do sistema New Shepard” e possui várias patentes relacionadas ao veículo de lançamento, de acordo com um comunicado da Blue Origin. Durante seu tempo como estudante de graduação na Universidade de Cornell, Lai estudou com o prolífico astrônomo Carl Sagan.

Lai será o segundo passageiro asiático-americano a viajar para a borda do espaço em um voo espacial suborbital, depois que a funcionária da Virgin Galactic e engenheira aeronáutica indiana-americana Sirisha Bandla se juntou a Richard Branson em seu voo espacial no ano passado.

A indústria está se deparando com questões sociais por, até agora, só ser amplamente acessível aos brancos, homens e ricos.

Marty Allen

Marty Allen é um investidor anjo e ex-executivo-chefe de uma loja de artigos para festas e uma empresa de design de armários.

O nativo da Pensilvânia agora vive na Califórnia. Em entrevista à emissora local de notícias WPVI-TV, com sede na Filadélfia, Allen disse que visitar o espaço é um sonho dele desde a infância.

“Adoro a aviação desde criança”, disse ele. “Eu costumava construir foguetes e brincar com eles quando criança. Sempre sonhei com o espaço.”

Allen acrescentou que cada passageiro recebeu uma pequena bolsa para levar a bordo da viagem suborbital e revelou que está levando uma bandeira americana de 60 pés por 10 pés para levar na viagem (cerca de 18m por 3m).

“Vou levar isso comigo e, quando voltar para casa, vou erguer um mastro realmente grande na minha propriedade e hastear essa bandeira”, disse Allen à agência de notícias local.

Jim Kitchen

Jim Kitchen é empresário e membro do corpo docente da Kenan-Flagler Business School da Universidade da Carolina do Norte, onde dá aulas sobre como iniciar “empreendimentos empresariais sociais e arrecadar fundos”, de acordo com sua biografia da universidade.

Viajante ávido que documenta suas viagens no Instagram, Kitchen visitou todos os 193 países membros da ONU. Mas, como os outros passageiros, ele diz que visitar o espaço é um sonho de longa data.

“Uma das minhas primeiras memórias de infância foi sentar no colo da minha mãe na praia na Flórida e assistir ao lançamento de uma missão Apollo, apenas olhando para cima e vendo aquele foguete ir para o espaço”, disse Kitchen em entrevista a uma publicação da escola de negócios da UNC.

Embora ele já tenha visto grande parte da Terra de baixo, ele disse que está realmente empolgado em ver o planeta de cima.

“Dado tudo o que está acontecendo agora no mundo, ver este planeta sem fronteiras do espaço é muito importante para mim”, disse Kitchen.

George Nield

George Nield é o presidente e fundador da Commercial Space Technologies, uma empresa que visa promover e facilitar as atividades espaciais comerciais.

Anteriormente, trabalhou como administrador associado do Escritório da Administração Federal de Aviação de Transporte Espacial Comercial, de acordo com a Blue Origin, onde era responsável pelo licenciamento e regulamentação das atividades de lançamento comercial.

Embora tenha passado grande parte de sua carreira no lado regulatório do setor de turismo espacial, Nield expressou entusiasmo por finalmente poder experimentar a “mágica” da jornada em primeira mão.

“Algumas pessoas me perguntaram por que eu gostaria de fazer um voo espacial suborbital”, escreveu ele em um tuíte de 14 de março . “Aqui está minha resposta: ver o céu negro e a curvatura da Terra, e experimentar a ‘magia’ da ausência de peso.”

Sharon Hagle

Sharon Hagle decolará ao lado de seu marido, Marc Hagle, no voo de quinta-feira – tornando-os o primeiro casal a voar em conjunto em um voo espacial comercial.

Ela é a fundadora da SpaceKids Global, uma organização sem fins lucrativos que trabalha para incentivar os alunos – e especialmente as meninas – a seguir carreiras em ciência, tecnologia, engenharia, arte e matemática (os chamados programas STEAM). A organização oferece concursos nacionais de redação e ministra palestras em escolas com o objetivo de inspirar a próxima geração a seguir carreiras na indústria espacial.

Sharon Hagle tem o objetivo de experimentar voos espaciais de todas as três empresas que operam atualmente na arena: Blue Origin, SpaceX e Virgin Galactic, de acordo com sua biografia global da SpaceKids .

Marc Hagle

Marc Hagle é o executivo-chefe de uma empresa de desenvolvimento de propriedades residenciais e comerciais com sede na área de Orlando, Flórida.

Cerca de quinze anos atrás, Hagles reservou passagens para voar em um futuro voo da Virgin Galactic depois de comemorar um aniversário de casamento com uma experiência de quase ausência de peso a bordo de um jato da Zero Gravity Corp., disse ele ao jornal local Florida Today.

Agora que o sonho de longa data do casal de experimentar um voo espacial está se concretizando, Marc Hagle disse ao Florida Today: “Eu não posso nem começar a dizer o quão empolgados estamos”.

“Estamos muito honrados por poder fazê-lo”, acrescentou. “E estamos nos divertindo muito com isso.”

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN