Estreia de ETF na bolsa dos EUA pode tornar bitcoin maior do que nunca

ETF ProShares Bitcoin Strategy terá sua estreia na bolsa de Nova York nesta terça-feira (19)

Bitcoin
Bitcoin Estela Aguiar

Julia Horowitzdo CNN Business

Ouvir notícia

As criptomoedas já tiveram altos e baixos em 2021, mas nunca em queda permanente. O hype em torno dos bitcoins está crescendo novamente, com uma ferramenta que pode aumentar a exposição pública à moeda digital prestes a estrear nesta semana.

Depois de despencar no início do ano, o bitcoin agora está sendo negociado acima de US$ 60 mil – perto do recorde de US$ 64.800 atingido em abril. Somente neste mês de outubro, já valorizou mais de 40%.

Os investidores estão entusiasmados com o lançamento antecipado do primeiro fundo negociado em bolsa do bitcoin. O ETF ProShares Bitcoin Strategy terá sua estreia na bolsa de Nova York nesta terça-feira (19), segundo a empresa.

 

O fundo proporcionará um ponto de entrada para investidores interessados ​​em criptomoedas, mas que não desejam lidar com a compra e venda de tokens sozinhos.

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês) sinalizou na semana passada que aprovaria o ETF, pelo qual a indústria de criptomoedas faz lobby há muito tempo.

“Antes de investir em um fundo que detém contratos futuros de bitcoin, certifique-se de pesar cuidadosamente os riscos e benefícios potenciais”, tuitou a SEC.

Caso vá em frente, o ETF pode turbinar ainda mais a alta do bitcoin. “Vemos a aprovação de um ETF de Bitcoin como um passo positivo para o espaço de ativos digitais”, disse Isaac Boltansky, diretor de pesquisa política da BTIG, em nota recente endereçada aos clientes.

No entanto, isso não significa que os reguladores estão abandonando a desconfiança nas criptomoedas. Boltansky explicou que um ETF de contratos futuros é diferente de um ETF que compra e vende bitcoin diretamente. Nesse aspecto, a SEC parece permanecer cética.

Além disso, a implementação de regras globais mais rígidas continuam a surgir. Órgãos de regulamentação estão cada vez mais pressionados à medida que o pool de investimentos das criptomoedas aumenta.

Jon Cunliffe, funcionário do Banco da Inglaterra, observou que o colapso do mercado de US$ 1,2 trilhão em títulos lastreados em hipotecas subprime desencadeou a crise financeira de 2008. Os ativos de cripto, por sua vez, cresceram para US$ 2,3 trilhões.

“É claro que US$ 2,3 trilhões precisam ser vistos no contexto do sistema financeiro global atual de US$ 250 trilhões”, disse Cunliffe. “Mas, como a crise financeira nos mostrou, não é necessário representar uma grande proporção do setor para desencadear problemas de estabilidade financeira”, acrescentou.

(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original em inglês)

Mais Recentes da CNN