Ford fechará fábricas na Índia; saiba se será o fim de Ka e EcoSport

Hoje, todos os carros que a empresa oferece por aqui são importados

Ford EcoSport
Ford EcoSport Divulgação

Thiago Morenocolaboração para o CNN Brasil Business

em São Paulo

Ouvir notícia

Em janeiro, a Ford pegou o mercado de surpresa ao anunciar o fim de suas atividades de manufatura no Brasil. Com isso, determinou o fechamento de sua fábrica em Camaçari, na Bahia. A linha de montagem era a responsável pela produção de dois modelos que representavam a maioria de seu volume de vendas por aqui: Ka e EcoSport.

Sem os modelos com os maiores números de emplacamentos no Brasil, a empresa viu seu desempenho cair no ranking das marcas mais vendidas. Hoje, a Caoa Chery já está vendendo mais carros que a Ford.

Agora, a estratégia da marca do oval azul compreende a comercialização apenas de modelos importados.

Hoje, tudo o que a empresa oferece por aqui vem de fora. Ranger (Argentina), Mustang (EUA), Bronco Sport (México) e Territory (China) chegam de outros países. Em breve, chegará também a van de passageiros Transit, montada no Uruguai. Para o próximo ano, a Ford promete trazer a Maverick, picape de porte intermediário – como a Fiat Toro – que compartilha a plataforma e a linha de montagem mexicana com o Bronco Sport.

Desde o início de sua produção, em 2003, o Ford EcoSport ajudou a popularizar o segmento dos SUVs compactos no Brasil. Até o fechamento da fábrica de Camaçari, mais de 1,2 milhões de unidades chegaram às ruas ao longo de duas gerações.

Da mesma forma, o Ka, lançado em 1997, era o carro chefe da empresa até o seu fim por aqui, acumulando mais de 1,3 milhões de vendas, incluindo a versão sedã, introduzida com a terceira geração do carro em 2014 para a linha 2015.

Após o final da produção brasileira, mercados como o argentino, que recebiam o carro nacional, passaram a importar o EcoSport da Índia, que continuou com a produção do SUV e do Ka, vendido por lá como Figo. Os indianos já eram responsáveis também pela produção do EcoSport para outros mercados.

Ford Ka, fabricado na Índia e chamado de Figo / Divulgação

E tudo parecia se encaminhar para que a Ford indiana continuasse com o legado do SUV pelos próximos anos. Nos últimos meses, unidades de teste foram flagradas mostrando que o EcoSport deveria receber uma reestilização em breve. No entanto, a realidade da Ford na Índia se mostrou mais parecida com a do Brasil do que se esperava.

Ainda em setembro, a empresa anunciou que também encerraria a maior parte das atividades de manufatura na Índia. Por lá, devem ficar apenas cerca de 600 funcionários, sendo 100 na área de peças e atendimento ao cliente, enquanto outros 500 ficarão em uma linha de montagem de motores para exportação. Os demais 4.000 empregados da Ford na Índia serão dispensados.

Fim do Ka e da EcoSport?

Além do Ka e da EcoSport, a Ford indiana deixará de produzir outros três modelos: Aspire (um Ka Sedan encurtado), FreeStyle (estilo aventureiro) e Endeavor (SUV). A decisão de praticamente extinguir a produção indiana teria sido motivada por questões similares aos que culminaram no final da fabricação no Brasil.

De acordo com a Ford, a divisão indiana da empresa teria acumulado perdas operacionais na ordem de US$ 2 bilhões na última década. Ao mesmo tempo, a empresa teria visto uma baixa de ativos não operacionais, com mais US$ 800 milhões em prejuízos.

No entanto, o fim da produção da Índia será um pouco diferente do que ocorreu no Brasil. Além de ainda manter uma pequena linha de produção de motores para exportação, o fechamento das fábricas indianas não será feito de forma imediata.

Por lá, as linhas de montagem irão continuar operando até o primeiro semestre de 2022. Depois do fechamento, a linhagem do Ka deverá acabar definitivamente, uma vez que o modelo e suas variações eram produzidas apenas no Brasil e na Índia. Já o EcoSport ainda é produzido na Romênia, até segunda ordem.

Mais Recentes da CNN