General Motors deixa de exportar carros para a Rússia

Montadora com sede em Detroit anunciou na sexta-feira que está interrompendo todas as exportações para o país que atualmente está invadindo a vizinha Ucrânia

Logotipo da General Motors (GM)
Logotipo da General Motors (GM) Foto: Edgard Garrido/Reuters

Peter Valdes-Dapenado CNN Business

Ouvir notícia

A General Motors está se juntando a uma série de outras empresas para cortar seus negócios com a Rússia. A montadora com sede em Detroit anunciou na sexta-feira que está interrompendo todas as exportações para o país que atualmente está invadindo a vizinha Ucrânia.

Cortar as exportações para a Rússia não será muito caro para a GM, no entanto. A GM vende apenas cerca de 3.000 veículos por ano na Rússia através de 16 revendedores locais, de acordo com um porta-voz da companhia. Isso é de mais de 6 milhões de veículos que a empresa vende anualmente em todo o mundo.

A GM atualmente não tem fábricas na Rússia, então a maioria dos veículos que vende lá é importada de fábricas dos EUA, enquanto alguns são trazidos da Coreia do Sul.

“A GM está comprometida em cumprir as leis e regulamentos dos mercados nos quais fazemos negócios, incluindo sanções econômicas aplicáveis ​​dos EUA e leis e regulamentos de controle de exportação”, disse a empresa em comunicado.

A GM opera uma empresa nacional de vendas para a Rússia e outras ex-nações soviéticas. A montadora disse que está interrompendo as exportações para a Rússia “até novo aviso”.

Em termos de seu próprio fornecimento de peças, a GM disse que “limitou a exposição da cadeia de suprimentos” e está trabalhando para minimizar possíveis interrupções no fornecimento de suas próprias peças.

“Continuamos monitorando os desenvolvimentos e tomando medidas para implementar estratégias de mitigação conforme apropriado”, disse a GM em comunicado.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN