Após fusão com Soma, ações da Hering deixam de ser negociadas na bolsa

Marcas do novo grupo incluem, além da Hering, Dzarm, Animale, Farm e outras

Vista de loja da Hering em São Paulo
Vista de loja da Hering em São Paulo Foto: Aluísio Alves/Reuters

Leandro Tavares, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

A Cia Hering e a Soma (SOMA3) anunciaram o fechamento da operação envolvendo as duas empresas, pelo qual os investidores que eram titulares de ações da Hering no fechamento do pregão da B3 da última sexta-feira (17) se tornarão titulares de ações da Soma.

A iniciativa cria uma das maiores empresas do varejo de moda do Brasil.

Com isso, a partir do pregão da B3 da próxima segunda-feira (20), as ações da Hering não serão mais negociadas.

Em comunicado enviado ao mercado na sexta-feira à noite, a Soma ressaltou que está tomando todas as providências necessárias para realizar o pagamento da parcela em dinheiro aos acionistas da Hering e avisará, oportunamente, a data em que será efetivado o pagamento.

Em abril, as empresas anunciaram uma fusão num acordo com o valor total de R$ 5,1 bilhões, sendo 30% do pagamento em dinheiro pela Soma e 70% via troca de ações.

A união entre as empresas junta o portfólio de Hering, Hering Kids, Dzarm, Animale, Farm, Fábula, A.Brand, Foxton, Cris Barros, Off Premium, Maria Filó e NV.

Mais Recentes da CNN