Independência energética significa custos mais altos, diz chanceler da Alemanha

Não ajudaria a manter as usinas nucleares alemãs funcionando por mais tempo, disse Olaf Scholz

Chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, durante entrevista coletiva em Berlim
Chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, durante entrevista coletiva em Berlim Foto: John Macdougall/ Pool via REUTERS

Ouvir notícia

A decisão da Alemanha de se tornar mais independente em energia devido à invasão da Ucrânia pela Rússia terá que aceitar os custos de energia mais altos, disse o chanceler Olaf Scholz neste domingo (27).

Scholz disse à emissora pública ARD que não ajudaria a manter as usinas nucleares da Alemanha funcionando por mais tempo, mas observou que o momento do plano do país de sair do carvão depende da rapidez com que progrediu na expansão das energias renováveis.

Parceria

A Alemanha assinou com o Catar uma parceria energética de longo prazo para se tornar menos dependente das fontes de energia russas.

A Rússia é o maior fornecedor de gás para a Alemanha e o ministro da Economia alemão, Robert Habeck, lançou várias iniciativas para diminuir a dependência energética da Alemanha em relação à Rússia desde que invadiu sua vizinha Ucrânia.

O emir Sheikh Tamim bin Hamad al-Thani do Catar recebeu Habeck e os dois discutiram maneiras de melhorar as relações bilaterais, particularmente no setor de energia, disse o tribunal do Emiri em comunicado no domingo.

Mais Recentes da CNN