Investimento a jato: Gávea Angels vende fatia da Bit Capital para Ame em 6 meses

“Se eu pudesse, gostaria de continuar sócio da Bit Capital”, disse Jorge Rocha, presidente da Gávea Angels, em entrevista ao CNN Brasil Business

Foto: Divulgação/Gávea Angels

Leonardo Guimarães,

do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

A Ame, fintech que pertence às Lojas Americanas (LAME3) e B2W (BTOW), anunciou na segunda-feira à noite (7) a aquisição da plataforma de open banking Bit Capital. Para a compradora, foi uma oportunidade de avançar em uma tecnologia que deve se popularizar no ano que vem com a entrada em vigor do open banking no Brasil. Para a vendedora, a associação de investidores anjo Gávea Angels, significou um ótimo negócio. 

Leia também:
B2W: Ame adquire a fintech Bit Capital, plataforma de open banking
Tesla anuncia 2° aumento de capital de US$ 5 bi desde setembro

Isso porque investidores iniciais chamados de “early stage”, como a Gávea Angels, costumam ficar com as investidas em seus portfólios, no mínimo, três anos. A ideia é ajudar na governança das companhias, e não só aportar recursos.

Mas não foi o caso da Bit Capital. Em apenas seis meses, a Gávea vendeu a sua participação na startup. 

“Para ter confiança em uma fintech, é preciso uma plataforma sólida, e foi isto o que vimos na Bit Capital. Vimos também todos os processos operando muito bem e a estrutura preparada para crescimento”, diz Jorge Rocha, presidente da Gávea Angels. 

Ele conta que, na época do aporte, em junho, a fintech tinha potencial para ganhar muitos clientes, mas precisava de dinheiro para escalar. Por isso a Gávea Angels entrou no negócio.

Agora, Rocha comemora o negócio, que foi rápido e lucrativo. O retorno, segundo ele, foi “muito bom”. Como a transação foi feita com uma empresa capital aberto, a Gávea prefere não abrir os valores de entrada ou saída do negócio. 

“Se eu pudesse, gostaria de continuar sócio da Bit Capital”, confessa o executivo. 

Na rodada de investimentos que a Gávea liderou e se tornou sócia da Bit Capital, a Ame e a Gear Ventures também colocaram dinheiro. Percebendo a evolução do negócio, a B2W decidiu comprar toda a empresa, por meio da sua fintech Ame. 

Com isso, a Bit Capital será integrada à Ame, carteira digital da B2W que tem mais de 14,5 milhões de downloads. 

“A aquisição está em linha com o plano de negócios da Ame, possibilitando a aceleração do seu desenvolvimento e maximizando suas frentes de negócios. Ainda é prematuro estimar seus efeitos nos resultados da Americanas e da B2W”, disse a empresa, em comunicado. 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN