Investimentos em startups têm recorde histórico em 2021

Setor financeiro foi o que mais recebeu aportes neste ano

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Faltando três meses para o fim do ano, 2021 já registra recorde histórico no volume de investimentos diretos por grandes empresas em startups, companhias de base tecnológica e com alto potencial de crescimento.

Levantamento da Distrito, plataforma que ajuda empresas a se digitalizarem e que monitora o mercado de startups, revela que os investimentos feitos neste ano já somam US$ 622 milhões — o maior volume da série histórica e mais que o triplo de todo o ano de 2020.

Entre os motivos para o crescimento, está a liquidez do mercado que ajudou. Além disso, as corporações também entendem que investimentos em outras empresas acelera o seu processo de crescimento. Um terceiro ponto é a percepção de mudança do comportamento do consumidor, com o aumento do e-commerce durante a pandemia.

Os setores que mais receberam investimentos em 2021 foram financeiro, varejo, tecnologia, serviços e saúde.

Gustavo Araújo, CEO da Distrito, explicou em entrevista à CNN, que startups têm como missão apresentar um novo produto ou serviço aos consumidores e, uma vez validado pelo mercado, o crescimento e a geração de empregos é ascendente.

“Uma vez que esse produto tem a adesão do mercado, a startup entra em escala de crescimento e é justamente nessa fase onde a maior parte dos empregos são gerados”, disse Araújo. “Há startups gerando 3 mil empregos por empresa, pois é no scale-ups que se contrata um grande volume de colaboradores.”

O especialista ainda aconselhou quem quiser investir nesse mercado, considerado de alto risco, mas que tem perspectivas de altos retornos.

“Você minimiza o risco quando olha para o empreendedor e o time a frente do negócio. No início, uma empresa está muito na mão do empreendedor, então o time tem que ser capaz de conhecer o mercado e o produto, saber desenvolver aquilo. Outro fator é se aquele problema está sendo resolvido — ou seja, tem gente disposta a pagar aquilo no mercado?”.

Mais Recentes da CNN