Investimentos privados no Pro Trilhos atingem R$ 150 bilhões, diz ministério

MRS, companhia que atua no setor de ferrovias como concessionária, se tornou a empresa que mais solicitou trechos ao programa

Já são 36 requerimentos submetidos por interessados em construir e operar nas ferrovias, que contemplam 11.142 quilômetros de novos trilhos, em 14 unidades da federação
Já são 36 requerimentos submetidos por interessados em construir e operar nas ferrovias, que contemplam 11.142 quilômetros de novos trilhos, em 14 unidades da federação Foto: Ministério da Infraestrutura/Divulgação

Artur Nicocelido CNN Brasil Business*

São Paulo

Ouvir notícia

O programa Pro Trilhos, que estimula a ampliação da malha ferroviária nacional, recebeu cinco novos pedidos nesta quarta-feira (1º) da empresa de logística MRS, informou o Ministério da Infraestrutura. Com as novas propostas, os investimentos privados no programa são projetados em R$ 150 bilhões.

A companhia, que atua no setor como concessionária – administrando 1.643 quilômetros nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo -, se tornou a empresa que solicitou mais trechos ao Governo Federal até o momento.

Os pedidos da MRS foram:

  • Três Lagoas (MS) a Panorama (SP) – 100 km de extensão para o transporte de celulose;
  • Unaí a Pirapora (MG) – 302 km de novos trilhos para transporte de grãos;
  • Varginha a Andrelândia (MG) – 143 km para transporte de café;
  • Ouro Preto a Conceição do Mato Dentro (MG) – segmento com 213 km de extensão para transporte de minério de ferro e siderúrgicos;
  • Rio Acima a Belo Horizonte (MG) – trecho de 42 km para transporte de minério de ferro.

Já são 36 requerimentos submetidos por interessados em construir e operar nas ferrovias, que contemplam 11.142 quilômetros de novos trilhos, em 14 unidades da federação. As propostas foram encaminhadas de 20 diferentes entes privados, sendo 16 deles estreantes no segmento de transporte ferroviário. Do total, sete estabelecem novos acessos a portos do país.

Todos os requerimentos são protocolados ao Ministério da Infraestrutura e apreciados pela equipe da SNTT (Secretaria Nacional de Transporte Terrestres) e pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), que já aprovou cinco projetos e deve analisar mais quatro até esta quinta-feira (2).

Após o aval da ANTT, a SNTT confere se a proposta está de acordo com as políticas nacionais de transportes e do setor ferroviário. Em caso positivo, a autorização pode ser outorgada. Contudo, não há prazo limite para que a avaliação seja concluída pelos órgãos.

Confira a relação das companhias e todos os requerimentos apresentados até esta quarta-feira (1º), sem considerar os da MRS:

  • Petrocity – São Mateus (ES) à Ipatinga (MG): 410 km de extensão;
  • VLI – Lucas do Rio Verde (MT) à Água Boa (MT): 557 km de extensão;
  • VLI – Uberlândia (MG) à Chaveslândia (MG): 235 km de extensão;
  • VLI – Porto Franco (MA) à Balsas (MA): 230 km de extensão;
  • VLI – Cubatão (SP) à Santos (SP): 8 km de extensão;
  • Ferroeste – Maracaju (MS) à Dourados (MS): 76 km de extensão;
  • Ferroeste – Guarapuava (PR) à Paranaguá (PR): 405,2 km de extensão;
  • Ferroeste – Cascavel (PR) à Foz do Iguaçu (PR): 166 km de extensão;
  • Ferroeste – Cascavel (PR) à Chapecó (SC): 286 km de extensão;
  • Grão Pará – Alcântara (MA) à Açailândia (MA): 520 km de extensão;
  • Planalto Piauí Participações – Suape (PE) à Curral Novo (PI): 717 km de extensão;
  • Fazenda Campo Grande – Terminal Intermodal em Santo André (SP): 7 km de extensão;
  • Macro Desenvolvimento Ltda. – Presidente Kennedy (ES) – Conceição do Mato Dentro (MG) – Sete Lagoas (MG): 610 km de extensão;
  • Petrocity – Barra de São Francisco (ES) à Brasília (DF): 1.108 km de extensão;
  • Rumo – Santos (SP) – Cubatão (SP) – Guarujá (SP): 37 km;
  • Rumo – Água Boa (MT) à Lucas do Rio Verde (MT): 508 km de extensão;
  • Rumo – Uberlândia (MG) à Chaveslândia (MG): 276,5 km de extensão;
  • Bracell – Lençóis Paulistas (SP): 4,29 km de extensão;
  • Bracell – Lençóis Paulistas-Pederneiras (SP): 19,5 km de extensão;
  • Morro do Pilar Minerais S.A – Colatina (ES) à Linhares (ES): 100 km de extensão;
  • Brazil Iron Mineração Ltda. – Abaíra (BA) – Brumado (BA) – Fiol (BA) – FCA (BA): 120 km de extensão;
  • Petrocity – Campos Verdes(GO) à Unaí (MG): 530 km de extensão;
  • Minerva – Açailândia (MA) à Barcarena (PA): 571,3 km de extensão;
  • Eldorado Brasil Celulose S.A. – Três Lagoas (MS) à Aparecida do Taboado (MS): 88,9 km de extensão;
  • Zion Real Estate – Lucas do Rio Verde (MT) à Sinop (MT): 153 km de extensão;
  • Macro Desenvolvimento Ltda – Sete Lagoas(MG) à Anápolis (GO): 716 km de extensão;
  • Cedro Participações – São Brás do Suaçuí (MG): 4,52 km de extensão;
  • Ultracargo Logística S.A – Porto de Santos (SP): 2,3 km de extensão;
  • 3G Empreendimentos e Logística S.A – Barcarena (PA) a Santana do Araguaia (PA), com conexão em Rondon do Pará (PA) e Açailândia (MA): 1.370 km de extensão;
  • Morro do Pilar S.A – Morro do Pilar/MG a Nova Era/MG: 100 km de extensão;
  • MTC – Multimodal Caravelas – EF Bahia (MG)  – Caravelas (BA) – Araçuaí (MG), com ramal até Teixeira de Freitas (BA) e Mucuri (BA): 491 km de extensão;

Mais Recentes da CNN