Jeff Bezos já estava saindo da Amazon há um tempo

Analistas e investidores da Amazon já estão acostumados com o fato de que Bezos tem muitos outros interesses

Jeff Bezos, fundador da Amazon
Jeff Bezos, fundador da Amazon Foto: Divulgação

Paul R. La Monica, do CNN Business, em Nova York

Ouvir notícia

“Jeff não vai embora”.

Foi o que disse diretor financeiro da Amazon, Brian Olsavsky, aos analistas na teleconferência de resultados da empresa na terça-feira (2) – uma chamada da qual Bezos não participava, apesar do anúncio feito momentos antes que ele vai deixar o cargo de CEO ainda este ano, com Andy Jassy como seu sucessor. Bezos permanecerá como presidente do conselho administrativo da Amazon.

A ausência de Bezos na teleconferência provavelmente não importa. Fortes ganhos e a receita no quarto trimestre e uma perspectiva saudável para 2021 claramente ajudaram a suavizar o impacto da bomba de Bezos.

Além disso, os analistas e investidores da Amazon já estão acostumados com o fato de que Bezos, que é dono do jornal “The Washington Post” e da empresa espacial Blue Origin, tem muitos outros interesses.

A última vez que o fundador da Amazon falou em uma teleconferência de lucros de analistas foi em abril de 2009. Bezos apareceu em vários eventos anuais para acionistas nos últimos anos, mais recentemente em uma reunião virtual em maio de 2020. Mas a Amazon não é o foco de Jeff Bezos há algum tempo.

É que, sem dúvida, a Amazon tem suas mãos em muitos produtos diferentes. Não é mais apenas um varejista online. A Amazon tem uma presença física com suas próprias lojas e é dona da rede de supermercados Whole Foods. 

É também uma gigante da mídia de streaming e está fazendo grandes incursões na área da saúde após a compra da farmácia online PillPack em 2019.

No entanto, a verdadeira máquina de fazer dinheiro da Amazon é a Amazon Web Services, ou AWS. Essa é a nuvem gigante que Jassy lidera. A AWS é paga para hospedar sites de empresas importantes. Coca-Cola, McDonald’s, Netflix e Verizon são clientes da AWS.

Seu lucro operacional de US$ 13,5 bilhões (cerca de R$ 72,2 bilhões) em 2020 respondeu por quase 60% de toda a receita operacional da Amazon. Portanto, é natural que Jassy, que está na Amazon desde 1997, venha a suceder Bezos.

“Embora não seja um rosto tão familiar para o público em geral como Bezos, Jassy é excepcionalmente bem visto pela comunidade de investimentos”, escreveu Michael Levine, analista do Pivotal Research Group, em um relatório.

O fato de Bezos permanecer firme e obter o título mais sofisticado de presidente do conselho administrativo também provavelmente significa que a Amazon não mudará tanto sua estratégia sob Jassy.

E por que deveria? A Amazon é agora uma das maiores empresas do mundo, valendo quase US$ 1,7 trilhão (cerca de R$ 9,1 trilhões). As ações estão sendo negociadas perto de um recorde histórico e subiram mais de 500% nos últimos cinco anos, muito mais do que o mercado em geral. Sabe aquela máxima de não mexer no que está dando certo?

“Esperamos que Andy Jassy como CEO signifique uma continuação dos temas-chave da Amazon de encantar o consumidor e construir e compor escala em todos os seus negócios”, disse o analista do UBS Eric Sheridan em um relatório.

Claro, existem riscos sempre que um CEO icônico deixa o cargo. Howard Schultz foi forçado a retornar à função de CEO da Starbucks (SBUX) em 2008, após deixar o cargo em 2000, antes de finalmente passar as rédeas para Kevin Johnson em 2016.

Mesmo assim, é bom que Bezos ainda esteja fortemente envolvido com a Amazon. Ele poderia ajudar Jassy com planejamento estratégico de longo prazo, da mesma forma que o antigo CEO da Google/Alphabet Eric Schmidt o fez de 2011 a 2017, quando permaneceu como presidente do conselho depois que o fundador Larry Page assumiu como CEO em 2011.

A dinâmica Bezos-Jassy também pode se assemelhar à dinâmica atual do conselho de administração da Disney, na qual o ex-CEO de longa data Robert Iger continua presidente e o ex-líder de parques e resorts Bob Chapek agora é o CEO.

“Embora Jeff Bezos esteja deixando o cargo de CEO, acreditamos que ele permanecerá essencial para a estratégia da Amazon, e o novo CEO Andy Jassy é um executivo de longa data na empresa, portanto a liderança permanecerá forte”, disse o analista da Mizuho Securities USA, James Lee em um relatório.

A única pequena mudança que Lee vê no futuro é “uma ênfase potencial para os negócios em nuvem”.

Em outras palavras, os investidores da Amazon podem ser perdoados se cantarolarem a letra de uma velha canção do The Who (“Won’t Get Fooled Again”), que diz mais ou menos assim: “conheça o novo chefe/ Igual ao antigo chefe”.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

 

Mais Recentes da CNN