Jogos Olímpicos de Pequim não devem consolidar yuan digital, dizem analistas

Tensões geopolíticas, consequências da pandemia e cerco sobre o coronavírus podem impedir moeda digital de ganhar tração na China

Notas da moeda chinesa yuan
Notas da moeda chinesa yuan Pixabay

Laura Hedo CNN Business*

em Hong Kong

Ouvir notícia

A China esperava que os Jogos Olímpicos de Inverno fossem um divisor de águas para o yuan digital, proporcionando um palco global para exibir sua proeza em inovação financeira.

Em vez disso, as tensões geopolíticas, a pandemia e a insistência da China em acabar com todos os vestígios de Covid-19 estão estragando a festa, em golpe a um dos projetos de moeda digital mais ambiciosos do planeta.

A China já está prestes a se tornar uma sociedade sem dinheiro circulante, mas a grande maioria dessas transações eletrônicas acontece em aplicativos de propriedade privada, fora do alcance imediato do Estado.

Um yuan oficial mudaria isso, dando a Pequim uma quantidade sem precedentes de informações sobre em que e onde as pessoas estão gastando dinheiro.

A segunda maior economia do mundo vem testando o yuan digital em cidades chinesas nos últimos dois anos, enquanto se prepara para um lançamento nacional que pode colocar a China à frente da Europa e dos Estados Unidos na corrida global para desenvolver uma moeda digital apoiada pelo Estado .

O cronograma para esse lançamento nacional ainda não foi decidido, mas é quase certo que Pequim pretendia que os Jogos Olímpicos fossem um marco importante no caminho para o uso generalizado.

Pequim vem pressionando empresas – incluindo grandes empresas ocidentais como McDonald’s e Nike – para permitir que os clientes usem o yuan digital durante os jogos. A versão digital da moeda é uma das três únicas opções de pagamento que atletas estrangeiros e outros têm em instalações esportivas e na Vila Olímpica, além de pagamentos em dinheiro e Visa.

E no ano passado, Pequim disse que tornaria mais fácil para os estrangeiros usarem o yuan digital durante os Jogos, dando aos atletas luvas de esqui e relógios inteligentes com funções de pagamento integradas, e eliminando a exigência de abrir uma conta bancária local se desejassem usar a moeda.

À medida que o evento se aproxima, porém, esses esforços podem pousar com um baque. Pequim está impedindo a maioria dos torcedores de participar dos Jogos e construiu uma elaborada “bolha” de quarentena para separar atletas olímpicos, autoridades, jornalistas e equipe de apoio do resto da cidade, à medida que os temores de surtos de coronavírus persistem.

Os legisladores ocidentais também estão alertando seus atletas contra o uso do yuan digital por desconfiança do governo chinês, incluindo preocupações com espionagem.

“Os Jogos Olímpicos teriam sido a primeira chance real para turistas e cidadãos chineses se familiarizarem com o yuan digital, mas essa porta se fechou quando o governo chinês decidiu restringir severamente o número de espectadores olímpicos”, disse Craig Singleton, sênior Membro da China na Fundação para a Defesa das Democracias, um instituto de pesquisa com sede em DC.

“Essa decisão por si só, mais do que qualquer outra coisa, provavelmente atrasará ainda mais a adoção em massa da moeda digital”.

Uma estreia internacional silenciosa

Empresas chinesas e funcionários do governo vêm divulgando os Jogos como uma oportunidade para o yuan digital nas últimas semanas, mesmo quando se tornou óbvio que a participação será mínima.

“Lançar o yuan digital em uma grande festa como as Olimpíadas de Inverno pode mostrar ao mundo a mais recente conquista de fintech da China”, disse Li Xin, gerente de negócios da unidade de yuan digital do Banco da China, à emissora estatal no início deste mês. O banco estatal é o parceiro bancário oficial dos Jogos de Pequim.

Vários fatores estão dificultando a adoção generalizada. As autoridades criaram uma das mais complexas quarentenas de Covid-19 já feitas. Conhecido oficialmente como o “sistema de circuito fechado”, as restrições serão aplicadas a cerca de 11.000 pessoas de todo o mundo, isolando-as da população chinesa em geral.

Qualquer pessoa – visitante chinês ou estrangeiro – que não faça parte desse sistema está impedida de participar dos Jogos, limitando ainda mais a escala do espetáculo.

As tensões políticas também podem complicar a situação. Em julho passado, três senadores republicanos dos EUA instaram o Comitê Olímpico e Paralímpico dos EUA a proibir os atletas americanos de “receber ou usar o yuan digital durante as Olimpíadas de Pequim”. O comitê não respondeu publicamente.

Mas teria aconselhado os atletas dos EUA a trazer telefones descartáveis ​​​​ou descartáveis ​​​​para as Olimpíadas na China por causa de uma possível vigilância, informou o Wall Street Journal no início deste mês. Vários outros países, incluindo Reino Unido e Canadá, ofereceram conselhos semelhantes a seus atletas, segundo a Reuters.

Mesmo que muitas das pessoas que comparecerem ao evento usem o yuan digital, “isso não causará um impacto significativo nos níveis gerais de transação”, disse Scott Kennedy, consultor sênior e diretor de negócios e economia chinesa no Centro de Estratégias Estratégicas. e Estudos Internacionais.

Lutando por tração

O yuan digital já está lutando para ganhar força na China. As transações com a moeda totalizaram apenas US$ 8,37 bilhões no segundo semestre de 2021, o equivalente a US$ 1,4 bilhão por mês.

Embora isso marque algum progresso após dois anos de testes, ainda está longe de representar um sério desafio para os aplicativos de pagamento digital de propriedade privada.

O Ant Group, por exemplo, revelou nos registros da bolsa de valores de 2020 que seu aplicativo Alipay processou US$ 1,6 trilhão em média a cada mês – mais de mil vezes o volume mensal de transações do yuan digital.

Depois de limitar inicialmente o uso de carteiras digitais de yuans aos vencedores de um sorteio, o governo chinês tornou mais fácil para o público experimentar o dinheiro virtual.

No início deste ano, por exemplo, o Banco da China lançou um aplicativo de carteira nas lojas da Apple e Android que pode ser usado em 10 cidades e regiões que estão testando a moeda, junto com as instalações olímpicas. Esse aplicativo piloto agora está disponível para todos nessas áreas, não apenas para os ganhadores da loteria.

O banco central divulgou números crescentes entre seus usuários de teste no ano passado como um sinal do sucesso do yuan digital. Até o final de dezembro, o aplicativo havia sido baixado por 261 milhões de pessoas, ou 19% da população da China, segundo dados do banco central.

Mas ainda existem barreiras para usar o dinheiro também. Fora da isenção das Olimpíadas para estrangeiros, as pessoas que desejam negociar com yuan digital precisam baixar e se inscrever no aplicativo do banco central e adicionar dinheiro de suas contas em um dos bancos chineses designados.

A moeda também não pode ser usada fora das 10 cidades e regiões que a estão testando, juntamente com os locais das Olimpíadas participantes.

Os consumidores parecem ter uma “relutância em abraçar” a moeda no momento, de acordo com Frank Xie, professor da Universidade da Carolina do Sul Aiken que estuda negócios e economia chineses.

Especialistas citaram a falta de incentivos como uma das principais razões para a falta de entusiasmo.

“Os ecossistemas que foram construídos há uma década em torno das grandes empresas de tecnologia são imbatíveis em termos de rede e conveniência”, disse Martin Chorzempa, pesquisador sênior com foco em inovação e tecnologia financeira chinesa no Peterson Institute for International Economics. Afinal, os líderes do setor Alipay e WeChat Pay já têm centenas de milhões de usuários familiarizados com seus serviços.

“A experiência de pagamento não costuma parecer diferente ou melhor para a maioria dos usuários do que o que já está em oferta”, acrescentou.

Xie também suspeitou que as preocupações com a perda de privacidade poderiam ser um fator, acrescentando que “até mesmo os cidadãos comuns” perceberam o alcance do poder do governo.

Mudando os padrões de gastos

O governo tem algumas opções para pressionar os consumidores a mudar seus padrões de gastos, de acordo com Singleton, da Fundação para a Defesa das Democracias.

“Com o passar do tempo, é possível que as pessoas vejam uma maior adoção do yuan digital para pagar certas despesas, como contas de serviços públicos, transporte ou outras contas gerenciadas pelo governo, simplesmente porque o governo pode forçar essas mudanças aos consumidores”, disse ele.

Analistas também levantaram a possibilidade de que o governo possa solicitar que aplicativos de propriedade privada promovam ativamente o yuan apoiado pelo Estado.

Isso já está começando a acontecer: a Alipay começou a testar os pagamentos digitais em yuan no ano passado, e a Tencent disse no início deste mês que também começaria a oferecer suporte ao yuan digital em sua carteira WeChat Pay.

“Na verdade, você está pedindo a esses provedores que potencialmente canibalizem seus próprios sistemas, permitindo que os clientes usem o yuan digital em vez de suas próprias opções de pagamento existentes”, disse Kimmo Soramäki, fundador e CEO da empresa de análise Financial Network Analytics, com sede em Londres.

Essas empresas podem sentir como se tivessem pouca opção, no entanto. O impulso da China para a moeda digital se encaixa com sua repressão regulatória à Big Tech.

O Ant Group e a Tencent estão sob intenso escrutínio e foram forçados a revisar seus negócios ou pagar grandes multas enquanto Pequim tentava reduzir seu poder.

“É provável que o lançamento de versões futuras do AliPay e WeChatPay seja evitado, o que, por sua vez, limitará o poder exercido por essas grandes empresas de tecnologia”, disse Singleton, que acrescentou que o governo espera que seus obstáculos regulatórios permitam a yuan digital para “ultrapassar esses outros sistemas de pagamento”.

No entanto, se Pequim finalmente garantir uma adoção mais ampla de sua moeda digital apoiada pelo Estado, parece haver pelo menos uma certeza: os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim não estão se preparando para ser o palco para os direitos de se gabar do yuan digital que as autoridades poderiam esperar.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN