Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mais de 140 mil perdem Bolsa Família e não ganham Auxílio Brasil, diz pesquisa

    Quase 40% do total de famílias que ficarão sem o benefício são da região Nordeste, a mais prejudicada de acordo com o estudo do Consórcio Nordeste

    Dinheiro: Auxílio Brasil é o programa que entra
    Dinheiro: Auxílio Brasil é o programa que entra Getty Images

    Leandro Resendeda CNN

    Rio de Janeiro

    Ouvir notícia

    Pelo menos 148,4 mil famílias brasileiras que recebiam Bolsa Família estão sem receber nenhum tipo de benefício, pois não se enquadram nos critérios do novo Auxílio Brasil. Os dados foram levantados pelos secretários estaduais de assistência social do Nordeste, por meio da Câmara Temática do Consórcio que reúne os estados.

    Quase 40% do total de famílias que ficarão sem o benefício são da região Nordeste, a mais prejudicada de acordo com o estudo. O levantamento foi feito a partir do Painel do Monitoramento Social do Ministério da Cidadania.

    Na avaliação do Consórcio Nordeste, o Auxílio Brasil “traz graves implicações para a gestão pública”.

    “Mas é na exclusão da população mais vulnerável, no que se refere ao direito à segurança de renda, e no seu caráter temporário, em consequência da ausência de recursos para o seu financiamento continuado, é onde residem os impactos mais negativos do novo programa”, diz o estudo.

    Coordenadora do estudo e secretária de assistência social do Rio Grande do Norte, Iris de Oliveira afirmou à CNN que dois grupos de pessoas estão sendo majoritariamente afetados pelas mudanças no programa social: as que recebiam o auxílio emergencial e deixaram de receber o benefício; e os que perderam acesso ao Bolsa Família.

    “O impacto será sentido nas ruas, com aumento da fome. É a insegurança alimentar o que mais preocupa e o governo precisa encontrar uma forma de olhar para essas pessoas”, afirmou.

    O primeiro pagamento do Auxílio Brasil foi feito pelo governo federal em outubro, com valor médio de R$ 217. A expectativa é de que o número de famílias beneficiadas seja ampliado e passe de 14,6 milhões para 17 milhões de famílias.

    Em nota, o Ministério da Cidadania reconheceu a “oscilação” no número de famílias beneficiadas, mas informou que a maioria apresentou renda acima do limite estabelecido pelo novo programa.

    “Vale explicar que o número de contemplados pelo Bolsa Família flutuava mensalmente, em virtude dos processos de inclusão, exclusão e manutenção de famílias. Os procedimentos de habilitação, de seleção e de concessão de benefícios eram realizados de forma impessoal.

    O ingresso e a permanência das famílias no Programa Auxílio Brasil ocorrerão a partir da inscrição no Cadastro Único. Importante lembrar que essa inscrição não resulta na imediata concessão de benefícios.”

    Mais Recentes da CNN