Melhor uso do 13º salário seria guardar para o ano que vem, avalia economista

À CNN Rádio, Alexandre Chaia disse que 2022 será complicado para a economia

Mercado no Rio de Janeiro
Mercado no Rio de Janeiro REUTERS

Amanda Garciada CNN

São Paulo

Ouvir notícia

O fim de ano traz consigo uma expectativa para o pagamento do 13º salário – a primeira parcela deverá ser depositada até terça-feira (29).

Na avaliação do economista e professor de finanças do Insper, Alexandre Chaia, as incertezas a respeito da economia no ano que vem tornam a questão do 13º “mais complexa.”

Em entrevista à CNN Rádio, ele vê que o melhor uso para o pagamento seria usar “como reserva ou para reduzir o tamanho de dívidas correntes.”

“O melhor seria se preparar para o início do ano que vem”, disse. “Haverá gastos como IPVA, IPTU, compras de escola, material vai voltar a ser necessário, se não se planejar corretamente, vai se endividar.”

No entanto, ele pondera que, no segundo ano da pandemia, “a expectativa do comércio é que parte considerável do 13º vá para consumo no Natal, já que as pessoas buscam algum alento neste momento de confraternização.”

“Natal é época de presentes, o que tem que ser feito é comprar presentes mais baratos para não entrar no ano endividado, a chuva de boletos é danosa”, explicou.

Para o economista, 2022 será de estabilidade ou recessão, ainda mais com o ano eleitoral. “O ano que vem será pior, terá incerteza muito grande, a economia vai performar mal.”

Com produção de Bruna Sales

Mais Recentes da CNN