Motoristas fazem fila para abastecer após anúncio de reajuste da Petrobras

Apesar de os novos valores passarem a valer apenas a partir desta sexta-feira (11), muitos postos já aplicaram reajustes

Balneário Camboriú: fila de carros ocupa mais de uma quadra
Balneário Camboriú: fila de carros ocupa mais de uma quadra Rafael Weiss

Estadão ConteúdoAndré Catto*da CNN

Ouvir notícia

Após o anúncio da Petrobras de que vai aumentar o preço da gasolina em 18,7% e do diesel, em 24,9%, motoristas fizeram filas de carros, motos e caminhões para conseguir abastecer ainda com os preços sem reajuste.

Cidades como São Paulo, Salvador, Belo Horizonte, Curitiba e Sorocaba já têm os combustíveis comercializados a novos preços. Em Teresina, São Luís e Palmas a gasolina ultrapassou a casa dos R$ 7 e é comercializada por até R$ 7,39 nesta quinta-feira (10).

Além da correria para abastecer, donos de postos de combustíveis também precisaram se adiantar para mitigar os impactos do reajuste anunciado pela estatal. Em alguns municípios, os empresários correram para garantir o estoque antes das 12h, horário em que as distribuidoras fariam a alteração na tabela de preços.

O gerente de um posto da rede Shell de Sorocaba, no interior paulista, Joel Lima, conta que o movimento de motoristas começou a subir por volta de 12h, logo após o anúncio da estatal. Enfrentando as filas, os consumidores tentavam encher o tanque antes da mudança de preço.

Com estoque adquirido ainda no preço anterior, a unidade decidiu não repassar o novo reajuste para atrair os motoristas que enfrentam filas de carros, motos e caminhões. “Essa gasolina que está saindo agora foi comprada antes do reajuste, por isso seguramos o preço, mas só dura até amanhã”, afirma Lima.

Nem o tempo de espera atrapalhou os planos de Dorival Fernandes de fazer um estoque de diesel para os veículos da sua empresa. Ele conta que foi avisado por amigos sobre a determinação da Petrobras e acabou correndo para o posto antes que o valor fosse reajustado. “As pessoas estavam falando que subiria R$ 1 no preço, eu não estava acreditando, quando cheguei aqui fiquei assustado com essa fila de gente”.

Entre as dezenas de veículos que aguardavam para abastecer, alguns motoristas foram pegos de surpresa com os novos valores já em vigor nas bombas. A representante de vendas Graciele Germano era uma das desavisadas sobre a nova alta nos combustíveis.

Depois de abastecer sua moto, Graciele pretendia ir para casa e buscar o veículo da família para encher o tanque antes que os preços fossem novamente reajustados. “Eu vi essa fila de carros e achei que estava com alguma promoção, não que estaria mais caro”, relata.

Em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, motoristas foram surpreendidos na manhã desta quinta-feira (10) com o reajuste nos preços dos combustíveis. Muitos postos nem esperaram pelo aumento anunciado pela Petrobras e corrigiram os valores.

O litro do álcool, que custava, em média, R$ 4 nas cidades da região de Ribeirão Preto, subiu para R$ 4,20. O preço da gasolina também subiu em poucas horas. Saiu de R$ 6,14 o litro para R$ 6,70. Em alguns postos, houve formação de fila no começo da tarde e muitos motoristas ficaram indignados.

A principal reclamação foi quanto ao reajuste no preço do álcool. A região de Ribeirão Preto é a que mais produz o combustível no Brasil e os motoristas não entendem porque o álcool está tão caro.

Em Santa Catarina, com o litro da gasolina custando R$ 6,49, motoristas também enfrentaram longas filas para abastecer. Em municípios do litoral norte do estado, como Camboriú e Balneário Camboriú, as filas chegaram a dobrar o quarteirão.

A alta procura nos postos de combustíveis começou no fim do dia, horas depois de a Petrobras anunciar o reajuste nos preços.

Na capital amazonense, houve filas em diversos postos já no início da noite. Na maioria deles, o valor da gasolina ficou na casa de R$ 6,59 o litro. O Procon-AM, no entanto, encontrou cobranças na faixa de R$ 7,49.

Em Goiás, foram registradas filas em Anápolis e na capital, Goiânia.

No Paraná, moradores da capital, Curitiba, viram os preços subirem já nesta quinta. Gasolina e diesel S-10 foram encontrados a R$ 7,39 e R$ 6,99, respectivamente, no fim da tarde. Mais cedo, alguns postos tiveram filas para abastecimento.

Representantes do setor explicam que o etanol está inserido numa cadeia de preços, ou seja, toda vez que a gasolina sobe, o álcool acompanha o reajuste.

A orientação dos especialistas é de que o motorista faça as contas antes de abastecer: se o preço do litro do etanol custar até 70% do valor do litro da gasolina, o álcool é a melhor opção. Acima disso, vale abastecer com gasolina, que oferece maior autonomia.

Procon-SP se manifesta

Na tarde desta quinta-feira o Procon-SP divulgou nota informando que o consumidor que se deparar já nesta data com aumento nos postos pode fazer uma denúncia. “Diante das notícias de que alguns postos de combustível estão aumentando os preços na data de hoje (10/3), ou seja, antes da entrada em vigor do reajuste divulgado pela Petrobras, o Procon-SP orienta os consumidores a denunciarem a prática.”

O órgão também informa que está realizando fiscalização nas ruas para verificar a situação nos estabelecimentos.

Reajuste

Petrobras anunciou nesta quinta-feira (10) que vai elevar o preço da gasolina e do diesel, após 57 dias sem reajustes. Para a gasolina, a alta será de 18% e, para o diesel, de quase 25%. Os novos valores começam a ser praticados nesta sexta-feira (11).

“Após serem observados preços em patamares consistentemente elevados, tornou-se necessário que a Petrobras promova ajustes nos seus preços de venda às distribuidoras para que o mercado brasileiro continue sendo suprido, sem riscos de desabastecimento”, disse a empresa em nota.

*Com informações de João Borda, Gabrielle Ravasco, Carol Queiroz, Marina Demori e Iara Maggioni

Mais Recentes da CNN