Passageiro da Uber que paga em dinheiro precisará tirar selfie para fazer corridas

Foto não será compartilhada com o motorista nem passará por verificação biométrica

Uber afirmou que recurso estava entre os mais pedidos por eles segundo pesquisas internas
Uber afirmou que recurso estava entre os mais pedidos por eles segundo pesquisas internas Cristina Zaragoza/ Unsplash

Sofia Kercherdo CNN Brasil Business*

São Paulo

Ouvir notícia

A Uber anunciou nesta segunda-feira (23) uma nova ferramenta de segurança em que o passageiro que deseja pagar em dinheiro terá de tirar uma foto do rosto antes de solicitar a corrida.

Segundo a empresa, a foto não será compartilhada com o motorista e nem passará por verificação biométrica. Contudo, ficará armazenada nos servidores da Uber, à disposição para consulta posterior das autoridades, caso necessário.

A ferramenta, batizada de “U-Selfie”, ainda está funcionando de maneira experimental, e a solicitação ocorrerá apenas para alguns usuários que preferem pagar com dinheiro e não ofereceram dados de um meio de pagamento digital (cartão de crédito ou débito).

A Uber afirmou que o recurso estava entre os mais pedidos, segundo pesquisas internas, e foi criado visando a segurança dos motoristas parceiros.

Investimento em segurança

Além da U-Selfie, a Uber também dispõe de outras ferramentas de verificação de usuários como a verificação do CPF na base de dados da Serasa Experian e a verificação de documentos (RG ou CNH) por meio de fotografia.

Nos últimos meses, a empresa vem anunciando uma série de medidas. No início do mês de abril, por exemplo, a Uber teve mudanças no cartão de oferta de viagens, que passou a mostrar aos motoristas o endereço de destino detalhado dos seus passageiros antes mesmo do aceite das viagens.

Até então, os motoristas da maior parte do país viam apenas a região do destino final.

No Rio de Janeiro, a Uber anunciou também a integração do botão “Ligar para a polícia” do aplicativo com o atendimento ao 190, que pode ser utilizado tanto pelo motorista quanto pelo usuário.

Quando ativado, a localização e dados dos passageiros são passados para as autoridades, sem necessidade de comunicação verbal.

*Sob supervisão de Thâmara Kaoru

Mais Recentes da CNN