Paulo Guedes e Onyx Lorenzoni fazem críticas ao Senado sobre pautas econômicas

Em sua primeira coletiva como ministro do Trabalho, Lorenzoni pediu aos senadores a aprovação da MP 1.045, que renova o programa de redução ou suspensão dos salários e jornada de trabalho

Rachel Vargasda CNN

Brasília

Ouvir notícia

O ministro da Economia,Paulo Guedes, e o ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni, criticaram, nesta quinta-feira (26), o Senado Federal em relação a pautas econômicas recentes.

Em sua primeira coletiva como ministro do Trabalho, Lorenzoni pediu aos senadores a aprovação da Medida Provisória (MP) nº 1.045, que renova o programa de redução ou suspensão dos salários e jornada de trabalho com o pagamento de um benefício emergencial aos funcionários.

“É preciso lembrar o quanto é importante fazer um apelo ao presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, que a medida provisória seja não apenas votada, mas aprovada”, afirmou Onyx.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, por sua vez, elevou o tom e afirmou que a Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado tem militantes contrários ao governo.

“Eu acho que os senhores [senadores] estão muito mal assessorados. Esse IFI, primeiro dizia que o PIB ia cair muito. Depois que o Brasil ia ficar em recessão. Recentemente, falaram que não íamos conseguir crescer, e estamos crescendo quase 5%. Evidentemente, ele [IFI] é uma ferramenta de militância. Não é surpresa que o presidente Arthur Lira, por exemplo, esteja atuando em altíssima velocidade para tirar o país do buraco e, enquanto isso, do Senado, está vindo só bomba”, afirmou Guedes.

A Instituição Fiscal Independente afirmou que não irá se pronunciar sobre as críticas feitas por Paulo Guedes.

Em uma live para investidores, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, afirmou que não há a obrigação de atender ao governo.

“O Senado Federal tem compromisso com o país, com o desenvolvimento econômico, mas não se torna subserviente a uma pauta pré-definida do Governo Federal”.

 

Mais Recentes da CNN