Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PayPal compra empresa japonesa de pagamentos por US$ 2,7 bilhões

    Startup Paidy opera seguindo o esquema de “compre agora e pague depois”

    Aquisição aumentará acesso do PayPal ao mercado japonês
    Aquisição aumentará acesso do PayPal ao mercado japonês REUTERS/Dado Ruvic/Illustration

    Michelle Tohdo CNN Business

    Ouvir notícia

    O PayPal informou que comprou a startup japonesa Paidy, marcando a fusão relevante mais recente no ambiente de crescimento rápido das companhias de “compre agora, pague depois”.

    A gigante norte-americana anunciou a compra, que será feita principalmente em dinheiro, na noite de terça-feira (7). O acordo vale 300 bilhões de ienes, cerca de US$ 2,7 bilhões.

    Em um comunicado, o PayPal disse que a aquisição busca estender suas “capacidades, distribuição e relevância no mercado doméstico de pagamentos do Japão, o terceiro maior mercado de e-commerce do mundo”.

    O movimento ocorre apenas algumas semanas após outra fintech grande, a Square, informar que desembolsaria mais de US$ 29 bilhões pela Afterpay, uma empresa australiana que permite que seus clientes paguem por suas compras em parcelas. A aquisição foi a maior da história da Square.

    No mês passado, a Amazon também anunciou que iria se unir com uma fintech provedora de serviços, a Affirm, para lançar a função de “compre agora, pague depois” para algumas compras acima de US$ 50.

    As duas empresas disseram que, enquanto o serviço ainda está sendo testado, a “Amazon planeja tornar a Affirm mais acessível para seus consumidores” nos próximos meses. A Affirm é liderada pelo presidente e fundador Max Levchin, que também é um dos co-fundadores do PayPal.

    As ofertas de “compra agora, pague depois” cresceram em popularidade como uma forma de atingir consumidores mais jovens e acompanhar a mudança rápida para as compras online durante a pandemia. Analistas de pagamentos apontaram que a tendência é particularmente popular entre os Millenials e a Geração Z, que têm receio de usar um cartão de crédito.

    O PayPal aumentou recentemente suas ofertas nesse espaço e anunciou uma ferramenta no último verão que permite que os vendedores fossem pagos na hora mesmo que os compradores escolhessem pagar por uma compra em parcelas semanais.

    A Paidy foi fundada em 2008 em Tóquio, e depois ganhou o apoio de investidores de renome como a Visa e o Goldman Sachs.

    Desde então, a empresa se tornou uma líder de mercado no Japão, atingindo mais de 6 milhões de usuários e permitindo que “os compradores japoneses façam compras online e então paguem por elas mensalmente em uma conta consolidada em uma loja de conveniência ou via transferência bancária”, de acordo com o PayPal.

    Russell Cummer, o fundador e conselheiro da Paidy, disse que o Japão provou ser um “ambiente vibrante” para o crescimento da companhia, já que os consumidores foram receptivos para novos jeitos de fazer pagamentos.

    O PayPal já possui uma parceria com a Paidy para serviços existentes, o que permite que os usuários conectem outros sistemas de pagamento digital em suas contas na Paidy.

    O PayPap disse na terça-feira que a Paidy manterá sua marca no Japão, e seu time atual de gerenciamento continuaria a comandar a nova entidade.

    “A Paidy está apenas no começo da nossa jornada, e a união com o PayPal vai acelerar nossos planos de se expandir além do e-commerce e construir um serviço único que se tornará uma nova referência para compras”, disse Riku Sugie, presidente da startup, em um comunicado.

    O valor de US$ 2,7 bilhões foi mais que o dobro da última avaliação conhecida da Paidy, que foi de US$ 1,2 bilhão em março, de acordo com o CB Insights. O valor a tornou um dos maiores unicórnios do Japão, termo que se refere a startups privadas que valem mais que US$ 1 bilhão.

    A expectativa é que o acordo seja concluído no quarto trimestre deste ano.

    (Texto traduzido. Clique aqui para ler o original em inglês).

    Mais Recentes da CNN