Pix já é principal forma de pagamento do país; veja prós e contras do serviço

Transações cresceram 34% no 4º trimestre de 2021 em relação ao período imediatamente anterior

Do CNN Brasil Business*

Ouvir notícia

O número de transações feitas com Pix já superou o de transações feitas com cartão de crédito e débito, mostram dados do Banco Central, referentes ao quarto trimestre de 2021.

Nos três últimos meses do ano passado, a instituição registrou 3,9 bilhões de transações feitas com o Pix, contra 3,8 bilhões de outros meios de pagamento. Esse número representa um avanço de 34% comparado com o terceiro trimestre de 2021.

O Pix que deu certo

Afinal, por que o brasileiro parece gostar tanto do Pix? Confira motivos listados por especialistas:

Adeus, taxas

O Pix não tem cobrança para transferências. Agora, mesmo para valores pequenos — onde antes muitos optavam por pagar em espécie, devido à taxa que até superava valor da transação–, com o Pix é possível transferir valores bem menores sem pagar a mais.

Qualquer hora, qualquer lugar

Fora do horário comercial dos bancos, ainda é possível utilizar o serviço. Para fazer uma transferência a conhecidos, ou até pagamento de serviços, muitos optam pelo Pix, porque não podem fazer uma transferência em tempo real, que outros serviços demandam.

Rateio entre amigos fica mais fácil

Vamos imaginar a seguinte situação: é aniversário de um colega de trabalho e você combina de dividir o valor do bolo com um grupo grande de amigos. Nesse caso, o valor para cada pessoa pode ficar bastante pequeno, o que significa que o valor de uma transferência, acrescido das taxas tradicionais, pode não valer a pena.

Com o Pix, não existe nenhum valor que “não valha a pena”, não importa quão pequenos sejam.

Esqueci o cartão. E agora?

A desculpa de esquecer o cartão também não vale mais com o Pix: tendo o telefone na mão, é possível realizar pagamentos, em qualquer hora e qualquer lugar. Com o recebimento, é ainda mais fácil: basta ter sua chave memorizada e o valor poderá estar na sua conta em poucos minutos.

O Pix que não deu certo

Apesar das vantagens, o Pix também já registrou alguns problemas ao longo do caminho:

Fraudes e golpes

O serviço não escapou de fraudes e golpes, por exemplo os de Whatsapp, em que um indivíduo fingia ser um familiar e pedia um Pix de quantia elevada.

Vazamento de dados

Foram relatadas, nos últimos 6 meses, 3 vazamentos de dados de bancos diferentes utilizando o Pix. Ao todo, informações de 576.785 chaves foram expostas, considerando incidentes no Banco do Estado de Sergipe (Banese), na Acesso Soluções de Pagamento e na Logbank Soluções em Pagamento.

Quando se digitava a chave Pix para fazer uma transferência ou pagamento, alguns dados do destinatário que não deveriam aparecer no momento da transação estavam sendo expostos, como dados da conta bancária ou o número do CPF completo (quando este não é a chave Pix).

Novas restrições

Devido às fraudes e vazamentos, algumas restrições, como de horário e valores, precisaram ser estabelecidas pelo Banco Central. Toda nova tecnologia às vezes dá dois passos para frente e outro para trás, porque surgem algumas questões que acabam atrapalhando (…). É uma questão de tecnologia, mas também de segurança pública.

*Publicado por Ligia Tuon

Mais Recentes da CNN