Pix Saque e Pix Troco representam 5% do total de transações; saiba onde fazer

Lançadas em novembro de 2021, funções registraram mais de 290.000 transações entre dezembro e o último mês de março

De acordo com o BC, já existem aproximadamente 15.000 pontos no país que oferecem Pix Saque e Pix Troco, entre comércios, agências e caixas eletrônicos
De acordo com o BC, já existem aproximadamente 15.000 pontos no país que oferecem Pix Saque e Pix Troco, entre comércios, agências e caixas eletrônicos Foto: Proxyclick Visitor Management System/Unsplash

Tamara Nassifdo CNN Brasil Business*

em São Paulo

Ouvir notícia

De ampla adesão entre os brasileiros, a ferramenta Pix, do Banco Central (BC), ganhou duas novas modalidades no ano passado: as funções Pix Saque e Pix Troco, disponíveis desde o final de novembro.

Segundo dados do BC, as funções registraram mais de 290.000 transações entre dezembro e o último mês de março — soma que representa 5% das operações totais da modalidade de pagamentos instantâneos no período, na casa dos 5,7 milhões.

Os pagamentos e transferências via Pix já superam os realizados por TED, DOC, cheque e boletos.

As funções Saque e Troco foram criadas para facilitar a retirada de dinheiro em espécie pelo usuário, que não precisa mais necessariamente recorrer a uma agência bancária ou caixas eletrônicos, podendo fazer saques em estabelecimentos comerciais que aderiram às modalidades.

De acordo com o BC, já existem aproximadamente 15.000 pontos no país que oferecem Pix Saque e Pix Troco, entre comércios, agências e caixas eletrônicos. A Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs) e a Pay Ventures desenvolveram uma ferramenta para unir o usuário aos postos de atendimento mais próximos: o Mapa Pix, atualizado a cada duas horas com base nos horários de funcionamento.

Clique aqui para acessar.

Como funcionam

O Pix Saque permite que usuários saquem dinheiro em espécie de um ponto de venda qualquer, como padarias e supermercados. Vale ressaltar que o estabelecimento precisa ter solicitado ao BC para ser um “agente de saque”.

O método é simples: quando o valor desejado para saque for informado, o comerciante deve gerar um QR Code para o cliente efetuar o pagamento. Depois, ele recebe em espécie o valor transferido.

Já no Pix Troco, o cliente, ao efetuar uma compra no estabelecimento, pode pedir para ter o excedente em dinheiro físico. Por exemplo, se o total da conta deu R$ 200, ele pode transferir R$ 300 para receber R$ 100 em mãos.

No final, um extrato comprovará a transação, que será computada pelo Banco Central.

Por segurança, as quantias que podem ser sacadas ou trocadas são limitadas. Durante o dia, podem ser sacados até R$ 500. À noite (das 20h às 6h), até R$ 100.

O BC ressalta que os comerciantes têm liberdade para instituir limites inferiores caso assim preferirem.

Pessoas físicas e empresários individuais podem efetuar até 8 transações ao mês sem custo adicional. A partir da 9º, as instituições financeiras de relacionamento podem cobrar um valor pelo serviço.

*Sob supervisão de Thâmara Kaoru e Ana Carolina Nunes.

Mais Recentes da CNN