Presidente Joe Biden assina pacote de infraestrutura de US$ 1 trilhão

Legislação conta com novos investimentos federais para estradas, pontes, transporte público, ferrovias, aeroportos, portos e hidrovias nos Estados Unidos

Joe Biden sancionou projeto que contou com apoio de alguns políticos da oposição
Joe Biden sancionou projeto que contou com apoio de alguns políticos da oposição REUTERS

Betsy KleinKate Sullivanda CNN*

Ouvir notícia

O presidente Joe Biden sancionou nesta segunda-feira (15) a lei com um pacote bipartidário de infraestrutura de US$ 1,2 trilhão e marcou sua principal vitória legislativa até o momento em um evento da Casa Branca com legisladores de ambos os partidos.

A legislação gerará US$ 550 bilhões em novos investimentos federais na infraestrutura dos Estados Unidos ao longo de cinco anos, incluindo dinheiro para estradas, pontes, transporte público, ferrovias, aeroportos, portos e hidrovias.

O pacote inclui um investimento de US$ 65 bilhões na melhoria da infraestrutura de banda larga do país e investe dezenas de bilhões de dólares na melhoria da rede elétrica e dos sistemas de água. Outros US$ 7,5 bilhões devem ir para a construção de uma rede nacional de carregadores para veículos elétricos com plug-in, de acordo com o texto do projeto de lei.

O projeto, primeiro aprovado pelo Senado em uma votação de 69 a 30 votos, em agosto, foi finalmente aprovado pela Câmara, contando com o voto de 13 legisladores republicanos, em 5 de novembro.

O Congresso voltou a Washington na segunda-feira após um recesso de uma semana para um lidar com uma série de questões críticas antes dos feriados de fim de ano, incluindo a aprovação da agenda econômica e climática mais ampla de Biden, o financiamento do governo antes do prazo final de 3 de dezembro e o aumento do limite da dívida.

A cerimônia acontece no momento em que Biden enfrenta uma queda nos números em pesquisas antes das eleições de meio de mandato do ano que vem, após uma derrota contundente para os democratas na eleição estadual da Virgínia no início deste mês.

O descontentamento com a pandemia e os problemas econômicos resultantes – incluindo uma inflação recorde – estão contribuindo para a queda da popularidade de Biden. Uma nova pesquisa ABC-Washington Post divulgada no fim de semana colocou o índice de aprovação do presidente em 41%, e a desaprovação em 53%.

A cerimônia de assinatura marcou uma rara reunião bipartidária, com funcionários estaduais e locais presentes de ambos os lados ideológicos.

Os senadores republicanos Lisa Murkowski, Susan Collins, Rob Portman e Bill Cassidy estavam entre os que compareceram. O senador democrata moderado Joe Manchin, um obstáculo importante nas negociações em andamento sobre a agenda Build Back Better de Biden, também estava programado para estar lá, assim como os representantes republicanos Don Young do Alasca e Tom Reed de Nova York.

O líder da minoria no Senado, Mitch McConnell, que votou a favor do projeto, disse na semana passada que não planejava comparecer.

Autoridades locais e estaduais bipartidárias também deveriam comparecer ao evento, disse um assessor da Casa Branca, incluindo o governador do Partido Republicano Larry Hogan de Maryland, com quem Biden destacou as medidas do pacote na semana passada em Baltimore, os governadores democratas Kate Brown de Oregon e John Bel Edwards de Louisiana, e os prefeitos de Oklahoma City, Columbia, Long Beach e Chicago.

Representantes de setores econômicos importantes também participarão da celebração, incluindo os líderes da United Airlines, Ford, da Câmara de Comércio dos Estados Unidos e outros grupos. E os sindicatos também estarão presentes.

O prefeito de Oklahoma City, David Holt, um republicano, disse à CNN que o projeto fornecerá financiamento para as estradas e pontes de sua cidade.

“Este é um dia de comemoração para os prefeitos. Lutamos por quase uma década para conseguir esse grande investimento na infraestrutura do nosso país. Portanto, estou muito satisfeito que o Congresso e a Casa Branca puderam trabalhar juntos para finalmente conseguir esse feito. Isso significa muito para estradas e pontes, infraestrutura hídrica, banda larga, trens, trânsito, todas as coisas que são infraestrutura central e que cidades como a minha realmente precisam de ajuda “, afirmou Holt.

O ex-prefeito de Nova Orleans, Mitch Landrieu, que foi nomeado conselheiro sênior e supervisionará a coordenação da implementação do projeto em nome da Casa Branca, também esteve presente.

Landrieu, disse a Casa Branca, “supervisionará os investimentos mais significativos e abrangentes em infraestrutura americana em gerações – o trabalho que os especialistas independentes verificaram que criará milhões de empregos sindicais bem remunerados enquanto aumenta nossa competitividade econômica no mundo, fortalecendo nossas cadeias de suprimento e agindo contra a inflação no longo prazo”.

Altos funcionários do governo, assim como o presidente, disseram que demorará algum tempo para que os americanos vejam e sintam os resultados dos investimentos do projeto de lei.

“Eles verão os efeitos do projeto de lei provavelmente começando nos próximos dois a três meses”, disse Biden a repórteres após a aprovação do projeto, acrescentando que ele “terá um impacto profundo com o tempo”.

*(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original, em inglês)

Mais Recentes da CNN