Procura por voos para os EUA registra alta superior a 300%

"Boom" nas buscas acontece após decisão do governo americano de liberar a entrada de estrangeiros imunizados a partir de novembro

Para minimizar os impactos do COVID-19, Comsefaz pede apoio ao ministério da Economia 
Para minimizar os impactos do COVID-19, Comsefaz pede apoio ao ministério da Economia  Foto: Amanda Perobelli - 27.fev.2020/ Reuters

Lucas Janoneda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

As companhias aéreas brasileiras registraram uma alta superior a 300% na procura por voos para os Estados Unidos.

O ‘boom’ nas buscas para o destino acontece após a decisão do governo americano, desta segunda-feira (20), que libera a entrada de estrangeiros totalmente vacinados contra a Covid-19 a partir de novembro no país.

Os números foram divulgados pelas empresas aéreas e compilados pela CNN na quarta-feira (22).

A Latam registrou um crescimento de 350% na procura por voos do Brasil para os Estados Unidos nas primeiras 24 horas após a notícia de reabertura das fronteiras americanas.

Atualmente, a empresa opera três voos semanais nesta rota, mas espera aumentar a oferta assim que a reabertura for oficializada.

Já a Azul teve um crescimento de 380% na procura de voos para o país norte-americano. Em nota, a companhia relatou ainda que o volume de vendas registrado pela empresa foi pelo menos seis vezes maior nos canais diretores, como o site e o aplicativo, em comparação com as semanas anteriores.

Igualmente procurada pela CNN, a Gol garantiu que teve um aumento de 330% na venda de passagens aéreas para os EUA em 24hs.

As agências brasileiras de viagens também sentiram o aumento na demanda, após anúncio feito pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, no início desta semana.

Para a presidente da Associação Brasileira do setor, Magda Nassar, a busca por passagens para o país norte-americano foi dez vezes maior nas últimas 24 horas. No entanto, ela destacou que a procura registrada pelo setor não se converte totalmente na compra de viagens.

“O movimento teve uma alta absurda nas últimas horas, aumentou drasticamente, em pelo menos dez vezes. Mas ainda precisamos saber se essa demanda vai se transformar em compras por parte dos consumidores, até porque ainda precisamos saber qual a documentação que vai precisar ser necessária para entrar no país”, disse a presidente da Associação Brasileira de agências de viagens.

“Nós ainda não sabemos qual a vacina será liberada, se é necessário o PCR, o tratamento com crianças”, completou.

Magda Nassar destacou ainda que a reabertura da fronteira da Argentina, nesta semana, também chamou a atenção das pessoas que pretendem viajar. De acordo com ela, o país sul-americano é o segundo local no exterior mais buscado por brasileiros.

Mais Recentes da CNN