Reforma administrativa deverá profissionalizar serviço público, diz ex-secretário

Ex-secretário de Desburocratização do Ministério da Economia, Paulo Uebel defende que projeto em análise no Congresso trará segurança e blindará de interferência política o funcionalismo

Da CNN

Ouvir notícia

A previsão para as contas públicas em 2021 é de que haja um déficit de R$ 95 bilhões. Uma alternativa para economia de despesas avaliada pelo governo federal é a realização da Reforma Administrativa.

A Instituição Fiscal Independente (IFI) prevê uma economia de cerca R$ 130 bilhões em dez anos com uma boa reforma administrativa. Já o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) tem uma projeção de economia de R$ 200 bilhões, em um cenário conservador.

Para o ex-secretário de Desburocratização do Ministério da Economia, Paulo Uebel, o projeto em análise é uma forma de profissionalizar o serviço público brasileiro.

“A Reforma Administrativa servirá para trazer ainda mais segurança, tecnicalidade e blindar de qualquer tipo de interferência política [o funcionalismo público]”, disse o economista em entrevista à CNN.

“Um dos avanços do projeto é tornar obrigatório que seja feita uma seleção com critérios objetivos para ocupação de cargos, até mesmo para cargos comissionados. Acompanha as melhores práticas internacionais, e hoje isso não acontece no Brasil”, complementou.

O ex-secretário argumenta que, em sua opinião, o avanço da Reforma Administrativa é “trazer um maior controle, rigor e transparência para evitar a captura do Estado por interesses políticos, partidários ou mesmo corporativistas”.

Mais Recentes da CNN