Senado inclui na pauta PEC que retira programa de renda básica do cálculo do teto

Segundo o senador Eduardo Braga (MDB-AM), autor do projeto, intuito é tornar programas como o Bolsa Família, ou mesmo o novo auxílio, permanentes, para que mesmo em mudanças de governo eles não sejam encerrados

Senado: pauta desta terça-feira (26) inclui PEC que institui programa de renda básica como um direito social
Senado: pauta desta terça-feira (26) inclui PEC que institui programa de renda básica como um direito social Jefferson Rudy/Agência Senado

Larissa RodriguesGabriel Hirabahasida CNN

em Brasília

Ouvir notícia

Está previsto na pauta de votações no plenário do Senado Federal desta terça-feira (26) uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que institui o programa de renda básica como um direito social. A PEC também retira, definitivamente, os custos do programa do cálculo de limitação imposto pelo teto de gastos públicos.

O projeto é de autoria do líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), e ficou mais de um ano parado no Senado antes de ser incluído pelo presidente da Casa, Rodrigo Pacheco, na pauta.

O texto prevê que “todo brasileiro em situação de vulnerabilidade terá direito a uma renda básica, garantida pelo poder público, cujas normas e requisitos de acesso serão determinados em lei” e que “as despesas relativas à renda básica” não serão incluídas no teto de gastos públicos.

Autor do projeto, o senador Eduardo Braga disse à CNN Brasil, nesta segunda (25), que quando elaborou o texto, ainda em 2020, “não tinha esse papo do Auxílio Brasil”. Segundo ele, o intuito da PEC é tornar programas como o Bolsa Família, ou mesmo o novo auxílio, permanentes, para que mesmo em mudanças de governo eles não sejam encerrados.

Ainda de acordo com o parlamentar, ao retirar o projeto do teto é possível frear qualquer tentativa de encerrar um programa de renda básica.

Nesta segunda-feira (25), o senador Antônio Anastasia (PSD-MG) foi escolhido relator da proposta em plenário. Isso significa que ele poderá mudar o conteúdo do projeto. De acordo com interlocutores ouvidos pela reportagem, Anastasia está resistente à ideia de retirar definitivamente do teto de gastos os programas de renda básica.

Por isso, teria marcado, para a manhã desta terça-feira (26), conversas com lideranças do Congresso Nacional e empresários. A conversa do senador com setores econômicos, segundo fontes, se deve ao sinal de alerta que a possibilidade de aprovação da PEC ligou no mercado financeiro.

A CNN apurou, ainda, que outra preocupação do relator são os possíveis adendos que senadores colocarão no texto, estabelecendo regras específicas para essa renda básica, como valor do benefício, por exemplo.

Tópicos

Mais Recentes da CNN